Google+ Followers

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Adeus, Dorothy!



Quando ela entrou em minha vida, há onze anos, eu não estava interessada em ter um cão. Morando em apartamento e atravessando grandes e desafiadoras mudanças de vida, a última coisa que eu queria era ter um animal para cuidar. Está certo que ela não fora dada a mim, mas à minha filha mais nova, que na época fazia seis anos, mas não era óbvio que o cuidar dela sobraria para mim? Mal sabia eu, então, o quanto aquela cadelinha cumpriria misteriosos desígnios do meu destino, pois logo em seguida nos mudamos para uma casa afastada de todas as minhas antigas relações, com um terreno grande e onde, se não fosse pela presença dela, em muitos momentos eu teria me sentido muito só. No início do nosso relacionamento eu só pude demonstrar relutante aceitação. Mas não se passaram muitos dias, para que me apercebesse tão apegada a ela, que a própria família começou a dizer que eu estava como alguém que tivesse adotado um bebê. Daí se seguiram todos esses anos de companheirismo  e de um carinho mútuo tão grande,  que agora eu estou certa de que foi o afastamento dela de mim, nesses dois últimos dias, o que apressou o colapso físico que ela sofreu hoje à tarde. Sim, porque, quando o meu marido a levou à clínica veterinária, dois dias atrás, ela estava claramente doente, mas ainda fazendo estripulias e seguindo-me pela casa, como de costume.  Na clínica, o veterinário achou por bem mantê-la sob cuidados, alegando que ela estava com sérios problemas hepáticos, entre outros. Hoje de manhã,  tomando conhecimento dos maus prognósticos, informados pelo doutor, pedi ao meu marido que a trouxesse de volta à casa, para que ela morresse perto de nós. Eu sentira muita falta, dela, durante toda a manhã, pois o telhado do meu vizinho está sendo reformado e eu não pude deixar de pensar no alvoroço que a visão dos operários teria provocado nela, pois o ponto de maior visibilidade deles é justamente da soleira da porta da cozinha, onde ela costumava ficar deitada, enquanto eu cozinho.  Quando o meu marido voltou à noitinha, porém, bastou olhar para ele para saber que ela já não estava mais nesse mundo. E embora isso de certo modo fosse esperado, desde que ela começou a envelhecer, a surpresa foi grande. Então, agora só me resta dizer: Adeus Dodô, obrigada pelo amor e fidelidade que você sempre nos devotou, espero que você seja muito bem recebida no céu dos cães!

65 comentários:

tatiane disse...

Marly, sinto pela sua perda. Esses bichinhos entram na nossa vida e sem a gente se dar conta já são nossos amigos, companheiros, membros da família...
Acho que o único defeito dos cães é viverem menos que nós :(
Abraço apertado.

Marina Mott disse...

Marly, sinto imensamente...já perdi grandes amigos assim...e continuo com eles sempre ao meu lado...beijo.

Renata Boechat disse...

Minha amiga, que coincidencia, nesse mesmo momento acabo de postar tbm entre muitas emoções, e não escondo, algumas lágrimas...

Entendo como voce deve estar se sentindo, e estendo a minha mão, e o meu coração, cheio de solidariedade a voce nesse momento de dor

Receba meu carinho abraço,
Saiba que te considero,
Renata

Atelier Glacê Real disse...

Marly querida,
Sinto muito pela perda da Dodô.
Não tenho animal de estimação, mas sei que são como verdadeiros filhos para os donos.
Beijinhos carinhosos,
Marcela.

Maria Luiza disse...

Marly
Que triste! Esses bichinhos fazem parte das nossas vidas e temos que nos conformar.
Nós temos um yorkshire que adoramos!

Marly, mostrei para minha filha de 13 anos que gosta de cozinhar os seus deliciosos pratos, e ela adorou! Esses dias, ela entrou em seu blog e imprimiu a receita de pãezinhos e foi para cozinha e fez. Eu não postei porque ela deixou a massa meio dura, e depois de assados não ficaram, digamos bonitos, mas ficaram muito gostosos. Eu não estava em casa quando ela amassou, somente coloquei no forno, enfim ela adorou à maneira como você enfeita os seus pratos, como fez o bufe de sobremesas. Diante disso, só tenho a te agradecer.
Abraços e fiquem com Deus!

Marion disse...

Emociona teu relato... realmente esses bichinhos acabam fazendo parte total de nossa vida! Ela era muito fofinha! Imagens lindas! Abs. Marion

Gina disse...

Marly,
Sinto muito, mas pense nos momentos bons que partilharam.
Até 7 anos atrás, não tinha cachorrinhos em casa. Agora são 2 e somos completamente rendidos a esses seres, que fazem parte da nossa família.
Beijo no seu coração!

Carla Regina disse...

Marly,sei o tamanho da dor que está sentindo,não gosto nem de lembrar das vezes que já senti essa dor,e sei que vou passá-la várias vezes ainda,me dói só de imaginar...ao ler seu post não pude deixar de chorar com vc...peço a Deus para que te dê forças,e tenho certeza que ela está te olhando,cuidando de vc,e feliz por ter passado esse tempo ao seu lado,por ter sido tão amada.
Beijos,fique com Deus!

Shapalmas disse...

Oi Marly...sinto muito pela perda!!!Eu entendo a dor...tambem ja tive bichinhos em casa,e sei o quanto eles significam pra nos,sao da familia neh!QUando eu morava no Brasil eu tinha um poodle(que na verdade era de minha irma,mas...era NOSSO rs),depois vim pra ca...e com o tempo ele se foi,sofri muito,mesmo de tao longe.Depois minha mae trouxe um
darchshund,mas quando foi pro Brasil levou de volta,sofri denovo,mas esse ainda eh vivo,quando voltar vejo ele,mas o dia a dia eh triste...porem...faz parte da vida...ganhamos e perdemos,isso sim e a realidade que temos que aceitar!
Espero que fiques bem...e que ela descanse em paz!!!

Beijinhos

http://viramexeefaz.blogspot.com/

Sharon

Josy disse...

Marly minha querida, sei muito bem como vc e sua familia estão se sentindo. Essas criaturinhas são verdadeiros presentes que Deus nos deu, a quem amamos como nossos filhos fossem, e por quem somos tão amados com toda pureza, fidelidade e companheirismo que só um animalzinho pode nos oferecer. Já tive vários cãezinhos, e perdi vários, e a dor é imensa, e todas são iguais. Chorei sinceramente com seu relato, pois sou apaixonada por eles, e sei bem o que vc está sentindo. Pense que de uma forma ou outra, ela foi feliz por ter um lar, e foi muito amada, e creia que a Dodô está correndo agora livre e sem dores ao lado de outros animaizinhos. O nosso único defeito é não aceitar e nem entender a morte, e por que essas criaturas tão amorosas se vão tão cedo. Sinta meu abraço com todo carinho sincero que sinto por vc. Fique com Deus...bjos

Sil disse...

Poxa, Marly. Sinto muito por essa perda, sei como é dolorida. Tente arrumar outro logo pra tentar suprir a falta dela... na maioria dos casos funciona, pois um filhote em casa nos distrai... Um beijão, querida!
Silvia

Novelo da Mitinha disse...

Marly!!!
Nossa,sei o que voce esta sentindo.
Sei que nao estou conseguindo escrever direito porque estou em lagrimas pela Dodo.
Mas uma coisa e certa,ela e feliz por ter convivido estes anos com voces.
Agora Mitinha e Dodo estao la no ceu brincando e tomando um solzinho.
Abraco carinhoso para voces.
Da sempre amiga Normita.

Monikinha disse...

Marli, sinto muito por essa perda!
Que Deus acalme seu coração!
Um forte abraço.

ameixa seca disse...

É muito triste perdeu um companheiro de vida. Não posso deixar de sentir as lágrimas caírem porque eu sei bem qual é o sentimento. Lamento muito!

Veruska disse...

Marly, sinto muto pela Dorothy...me emocionei com seu post...Eu tb. já passei por essa perda e sei como vc. está se sentindo. Tive uma cachorrinha por anos que morreu envenenada, Já fazem 22 anos que ela se foi e ainda carrego comigo sua foto na carteira... Esses bichinhos fazem parte de nossa vida...
Um abraço carinhoso pra vc. e pra sua família..
Bjuss
Veruska

Coisas de Tássia disse...

Olá! Sinto muitíssimo pela sua perda, sei como é perder o nosso bichinho, pois são grandes companheiros.

Abraços,

Tássia

Rosana disse...

Meus sentimentos, colega!

O amor dos cachorrinhos é mesmo sem fim, mesmo quando brigamos com eles, logo vêm balançando o rabo de satisfação ao nos ver. Muito mais fácil se fosse assim tbm com as pessoas, né?!rs

Grande abraço!

"Manjares da Manu" disse...

Marly, sinto muito!!!
Realmente eles fazem parte da nossa vida como se fossem nossos filhos, né?

Bjs...

Elen disse...

Sinto muito pela sua perda e desejo de coração que fique em paz.

Abraços cheirosos

Cíntia A. S. Sevaux disse...

Olá Marly, como veterinária, eu sempre digo que infelizmente a vida deles é mais breve que a nossa, e as vezes é melhor que partam do que fiquem em sofrimento...mas como também tenho meus companheirinhos, sei que é um luto que só quem teve uma amizade assim, entende...e garanto, valhe cada minuto, pois o carinho dado nunca é em vão... o sentimento daquela amizade e dedicação pura permanecem em nossos corações para onde quer que formos, e onde quer que eles forem... bjinhos...

♥Ana Paula♥ disse...

Sinto muito pela sua perda, sei exatamente o que sente. Sempre tive cães na minha vida e no ano passado perdi dois de uma só vez e foi um baque, mas hoje, tenho mais duas e que são tudo na minh vida. Sei que quando forem vou sofrer... eles tomam conta da nossa vida, são luz no nosso dia a dia.
Que Papai do Céu cuide bem deles...

Beijinhos querida.

Heloísa disse...

Marly,
É incrível a ligação que estabelecemos com nossos cachorrinhos. São nossos amigos fiéis e leais, e além de tudo nos ajudam a entender e enfrentar as perdas.
Ela era muito fofinha, e me lembrou o cachorrinho que fez companhia para minha mãe nos seus últimos anos de vida.
Beijo.

angela disse...

Só li o título, a foto e já chorei! ah.. eu até tenho um blog dos meus queridos, http://napontadapata.blogspot.com odeio a ideia que eles se vão antes de mim... tem que ter algum sentido simbólico para gente passar tempo com essas maravilhosas criaturas e deixá-las ir.

angela disse...

meu beijo e meu carinho!

Nayara disse...

♥ Querida sinto mesmo de verdade pelo seu au au. Chorei lendo sua postagem, pois tenho um maltês PARAGUAIO,... de maltes não tem nada), mas aqui em casa somos doidos, ou melhor,nós amamos nosso cachorro. Sexta passada ele ficou com dor na pata e gritava. Mesmo passando por grandes difilculdades financerias, meti a mão no cartão de crédito e o levei para o médico. Paguei caro, mas estou feliz pois ele esta bem. Tomara Deus cura logo sua saudade e tristeza. Beijos querida. (Ah, Deus ama tanto os bichos que os salvou no dilúvio)

Andréa disse...

MARLY QUERIDA,
SEUS SENTIMENTOS,FORÇA AMIGA!
ABRAÇOS DA AMIGA,
ANDRÉA........

Andréa disse...

FIQUEI TÃO TRISTE QUE ESCREVI SEUS SENTIMENTOS, MEUS SENTIMENTOS, SEI QUE NÃO É FÁCIL A DOR DA PERCA.
MUITA FORÇA AMIGA,A VC E SUA FAMÍLIA!
BEIJOS...

Laura Lucia disse...

Marly,
Estou aqui chorando pela sua dor. Estou aqui chorando pela sua cadelinha e por todos os meus animais que também já partiram. Estou aqui chorando pelo amor incondicional que eles nos deram e pelas pessoas melhores que eles nos ensinaram a ser.
Sei, de cátedra, que essa sua dor vai continuar a doer por algum tempo. Sei também que o tempo há de reduzi-la até que fique somente a alegria da lembrança, aliada ao seu amor por ela, o qual continuará, pois não existe passado do verbo amar para quem continua vivo: o amor é sempre conjugado no presente em nossos corações. Mas será a mescla do seu amor e do da Dorothy que haverá de brilhar constantemente em sua vida, iluminando seus momentos mais gloriosos e também os mais difíceis, de forma que para todo o sempre você terá uma linda luz de amor resplandecente a lhe acompanhar pela vida a fora – uma verdadeira felicidade e benção.

Marly, deixo aqui o meu maior e mais forte abraço, daqueles que só quem sofreu a mesma dor pode compreender. Laura Lucia

Carol disse...

Querida, eu amo tanto cães e amo tanto a minha Milu que senti aqui um pouco de sua dor, digo pouco porque só você sabe o tamanho de sua dor. Meus sentimentos...

Se me permiti opinar, não se prive da companhia desses amados em sua vida, se puder, arrume outro pequeno peludo para te fazer companhia e te dar alegria. Cães são anjos de quatro patas e acho que são um dos melhores presentes de Deus para a humanidade.
Beijos

Joana Abreu disse...

Marly, querida
Vc não imagina o quanto sinto, de verdade. Estou aqui chorando copiosamente. Não tenho preparo para isso e sei que o dia que a minha Lola se for será um dia terrível para mim e meu marido. Só quero que saiba que tem minha solidariedade, minha compreensão e companheirismo nesse momento. Esses seres especiais, que Deus nos dá de presente ao longo de nossas vidas, são dignos mesmo, de todo o nosso amor, afeto e gratidão.
Fique com Deus.
Beijinhos carinhosos

Simples Assim disse...

AI,Marly.Você me fez chorar.Maio passado perdi meu Bigão.Uma dor que só sabe quem já perdeu.
Ainda bem que sobrou a Gabi e o Tico.
Você escreveu exatamente o que senti.
Vou te dizer uma coisa: compra logo outro.É a melhor maneira de a gente se sentir melhor.Nunca substitui o que foi, mas preenche um pouco o espaço.
Bj e força,
Lylia

Laura Lucia disse...

Oi, Marly,
Voltei para agradecer a dica de sovar o pão com o gancho da batedeira. Vou experimentar mesmo. Grata, garota.
Beijinhos, Laura Lucia

Iaraduoli disse...

Olá Marly,não conheço vc mas estou muito emocionada,com lágrima nos olhos agora após ler esse depoimento.
Meus sincero sentimento,e saiba que nada é por acaso.bjs

Iaraduoli disse...

Marly ,meu sentimentos,fique com Deus porque só ele pode nos confortar.

Adriana Carvalho disse...

Oi Marly,
Larissa me contou hj que a Dodô tinha morrido. Fiquei triste afinal me lembro bem do dia em que a levei pra sua casa. Era toda miudinha. Uma bolinha de pêlo. Na época eu nem havia te consultado sobre o presente que eu daria a Bel. Impressionante como tempo passou rápido. A minha pergunta agora é se vc quer outro cachorrinho. Terei o maior prazer em presenteá-los novamente.
Um beijo bem grande,

Rachel disse...

Amiga, passei a tarde fora e só agora vi a atualização do seu blog pelo email, li o post lá mesmo, e confesso a você que me arrepiei, sabe porque...também vivi uma situação assim, e o meu Bobô (olha como soa parecido) nos deixou depois de 17 anos de uma fiel amizade.
Posso imaginar o que você está sentindo e te digo que isso vai demorar muito para passar, muitas vezes você vai vê-la sentada lá na porta da cozinha como você disse, é assim comigo até hoje...sniff!
Mas você sabe que eu até gosto, ás vezes sinto ele por perto e acho que ainda está mesmo, me protegendo!
Um grande e carinhoso abraço!

Dri Dauzacker disse...

Oh minha querida, sinto muito pela sua perda, estou eu aqui em lágrimas após ler o seu texto tão cheio de emoção e dor, sei bem o que vc está sentindo pois partilho pelo mesmo amor pelos cães... e como eles são companheiros, amigos e leais...
A Dodô com certeza está muito bem no canil celestial...
Fica bem minha querida... e se precisar, é só chamar...
Bjim

Nia disse...

Sinto muito por sua cachorinha, força.

Renata C., UMA EXPATRIADA (esposa, mae, mulher...) disse...

Sinto muito, de verdade. Fique bem.

c r i s disse...

Ô Marly, sinto muito mesmo pela sua Dodô, só quem tem um peludinho sabe o tamanho desse amor, não é? Que bom que você e ela permitiram essa troca, é triste quando eles vão e saem da nossa vida assim como entram...bjo carinhoso.

Renata disse...

Marly, sinto muito pela perda da sua `companheira`. Só quem tem animais de estimação sabe como é triste perder esses amigos tão queridos.

Beijo grande!

Cris disse...

Sinto muito pela sua perda.Espero que a mesma Providência que a trouxe a Dodô quando você menos esperava possa consolar seu coração e preparar outras belas surpresas para alegrar de novo seu coração.
Com carinho.

Letrícia disse...

Só li agora o seu post, e li de raspão, porque estou no trabalho e já estou com os olhos cheios d'água - se eu ler concentrada, vou morrer de chorar.

Sinto muito mesmo por sua perda. Tenho duas cadelinhas que me vigiam do céu dos cães (e que até hoje me visitam em sonhos). Sei que a Dorothy vai ser bem recebida por elas e que vai continuar passeando por seus sonhos, linda, sausável e brincalhona, como sempre foi.

Fique bem.

Beijão.

arte da sadhia disse...

Amiga sinto pela sua perda ..também perdi minha amiga e tem uns 4 meses...de cancer...não teve jeito ela ainda viveu 13 anos ...foram 13 anos de alegria ..sei como vc esta se sentindo amiga
Fé em deus que tudo vai dar certinho amiga
bjocas
sadhia

Yolanda disse...

Marly, estou comovida tanto pelo seu carinho, como pelo exemplo de amor, as pessoas deveriam dar uma chance a si próprio adotando um animal. Não fosse a companhia de minha gata, não sei como seria minha vida. Bjs e força.

Judy disse...

Meu abraço muito carinhoso neste momento triste.

Dodô já deve estar fazendo suas estripulias no céu dos cachorros e certamente feliz, muito feliz por ter recebido de sua família o amor, carinho, atenção e cuidado que nosso peludos merecem.

Kelly disse...

Querida, que tristeza! Só quem tem sses companheiros sabe o quanto eles nos fazem bem. Mas conforte-se e lembre-se dos bons momentos sempre.
Um biggg beijo.

ANA LÚCIA disse...

Que dor amiga! Eu acabei de adotar uma cachorrinha e já estou super apegada com ela. Somos grandes amigas e nem posso imaginar perdê-la. Como animais de estimação nos fazem felizes!!! A Dorothy virou uma estrelinha que estará sempre presente nos seus pensamentos!
Bjs,
Ana

Irmina Díaz-Frois Martín disse...

Lo siento. Yo tuve una perita de igual raza que vivió 16 años. Se echa mucho de menos.
Un beso.

Renata disse...

Poxa, Marly, acabei de voltar de uma inesperada viagem e encontrei esta notícia. Embora eu não tenha um bichinho de estimação, posso imaginar o tamanho da sua dor. Receba meus sentimentos e espero que você fique bem.
Um abraço bem apertado.

Josy disse...

Marly querida só passei para saber como vc está, espero que esteja melhorzinha,desejo um excelente domingo...bjs amiga

Simone Scharamm disse...

Ah, amiga,
Lamento muito!
Era linda a sua Dorothy! Deixo aqui um abraço bem carinhoso pra você!

Saltapocinhas disse...

sinto muito pela tua perda. :(
os animais são seres que nos amam incondicionalmente, por isso dói tanto quando eles partem.

beijinhos

(pode parecer-te cedo de mais, mas o melhor que podes fazer agora é adotar outro cachorrinho)

Deyse Costa disse...

Esses bichinhos são especiais!! Linda a Dodô!

Marly disse...

Amigas,

Agradeço, de coração, cada palavra de solidariedade e consolo registrada por vocês: muito obrigada!

Um beijo para cada uma!

Karen disse...

Isso é sempre muito triste. Esses seres acabam fazendo parte da vida da gente de uma forma muito especial.

Emília disse...

Ela é linda e é uma pena os bichinhos viverem tão pouco...sempre deixando enorme saudades...
Beijinhos

Lucinha disse...

Marly,

Nossa, fiquei muito triste lendo esse relato.
Imagino como está sendo difícil pra você e toda a família ficar sem a Dorothy.
Eu não tenho pets meus, somente dos vizinhos que acabaram sendo adotados por mim. Dou carinho, algumas refeições.
O Diesel (cão labrador), vem todos os dias e manhã tomar o café da manhã. Quando eles viajaram, eu chorei de saudade dele.
Posso imaginar a sua dor, pois teve a Dorothy por tantos anos.
Mas ela está lá no céu. São Francisco está cuidando dela.
Desejo que você sinta paz no seu coração. Beijos

Luciana disse...

Ah amiga, só hoje vim saber sobre sua amiguinha. Sei o quanto é triste perder amiguinhos assim. Mas que bom que ela te deixou lembranças tão boas e pode fazer parte de tua vida um bom tempo, não é mesmo?!! Que Deus console teu coração e de sua família.
Bjos, Lú.

margaret pires disse...

Marly só agora entrando no teu blog vi a homenagem que vc fez a dodo, realmente doi muito quando eles nos deixam, nós ja´ passamos isto duas vezes eu principalmente , lembro quando dodo chegou em seu apartamento, seus latidos finos querendo dormir no quarto de vocês, o que sempre me deixou admirada foi o fato de mesmo vc morando longe, sempre que ia em sua casa dodo me reconhecia , assim a gente ver o quanto esses animais nos amam , olha a saudades vai durar uns dias meses mas a lembrança jamais terminará pois até hoje lembro de meu zurique fica com Deus beijos nas meninas .

mariane disse...

olâ flor não tenho palavras para discrever o que se passa numa hora dessas nós não nos conheçemos mas,sou grande fã do blog e sei o que vc deve ter sofrido a saudade e enorme e deixa um buraco no coração da gente que o preenchido com as lembranças do que vivemos com as nossas almas gêmeas caninas perdi o meu cachorro um amigo de quase uma vida inteira a dois anos quando faltava apenas algumas semanas para ele completar 11 anos foi um choque enorme uma tristeza imensa

nós os adotamos, amamos e temos que deixa-los ir mesmo sabendo que isso dói muito sabendo que um dia a gente se encontra e continua de onde paramos...

sei que vc amou esse pedacinho de anjo muito como muitos amam então pense nos momentos felizes e sorria sempre
bjuss

Deise Soares |arquiteta| disse...

Marly querida, sei bem como é isso, no inicio do ano perdemos nossa akita de estimação com 14 anos, e agora no fim de agosto perdemos nossa poodle de 17 anos, ambas muito amadas, minha mae ate hj sofre muito! Parece coisas do destino, sempre tive cachorros pela casa, e como tinhamos as 2 durante todo esse tempo, nunca pensamos em pegar mais, foi entao e algum desalmado largou uns filhotes perto da minha casa pela rua, como sempre fizemos, recolhemos eles, e fico a procura de adoções. mas dessa vez foi diferente, enquanto ainda tinhamos a poodle, um dos filhotes acabou ficando... parece q ela estava apenas esperando falarmos que o novo filhote ficaria para cuidar da minha mae, um tempo depois ela se foi, muito velhinha. Mas nos deixou o prazer de conviver com ela tanto tempo!
Abraços solidarios!

Thaiza Nacaxe disse...

Ai, chorei!!! Isso aconteceu na minha casa também... minha cocker teve câncer e morreu nos meus braços. Minha mãe não queria mais cachorros, mas um amigo nos ofereceu uma igualzinha a Dodô!! Filhotinha, bolinha de algodão, pititica, não tivemos como não aceitar... E hoje ela ainda é jovem, mas já não consigo imaginar minha vida se ela.

Beijos!

Ilaine disse...

Querida Marly!

Sinto muito por Dorothy. Posso imaginar o que está sentido. Nos apegamos tanto aos animais e por fim eles fazem parte da família. E fica um vazio insuportável.

Amiga, apesar de falar de algo triste, gostaria de lhe parabenizar pela forma como escreve. Sua escrita é muito especial e a leitura se torna um grande prazer.

Espero que logo fique bem.
Deixo meu carinho. Abraço forte!

Ro Dias disse...

Sinto imensamente pela sua perda e te confesso que me deu um nó na garganta quando vi suas fotinhas,pois Dorothy é simplismente muito parecida com a minha Ariel que também entrou em nossas vidas a 11 anos.Receba todo a carinho do mundo nesse momento.

Pin It button on image hover