Google+ Followers

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Pão de Leite + Nietzsche e o Cristianismo





Olá, vi o meu estoque de pão ir praticamente à zero, hoje de manhã, e percebi que não poderia ir às compras nas horas seguintes, fazer o que? Um pão caseiro, uai! Fiz a massa rapidinho, assim que terminei o preparo do almôço (aiaiai, esta palavra voltou a ter o acento diferencial? O 'desacordo' ortográfico está me deixabdo confusa com as letras, pela primeira vez na vida, rsrs), como ia dizendo, deixei que o pão descansasse, e assei-o tão  logo foi possível (1 hora e 35minutos depois, somando os dois "descansos"). E ei-lo aí, para a minha alegria, rsrs. Todavia, talvez por causa da pressa, o pão não ficou lá muito bonito, já que massa de pão não aceita ser tratada senão como diva. Mas garanto que ele ficou muito saboroso. Já publiquei aqui uma receita de pão de leite excelente, que depois foi copiada à torto e à direito, web afora. Houve até quem convertesse as medidas para outra unidade, e reapresentasse a receita como coisa nova. Este fica um pouco diferente: com uma casquinha mais firme e o interior macio.
 
Pão de leite


Ingredientes


½ kg de farinha de trigo (mais cerca de ½ xícara rasa e outro tanto para polvilhar a mesa)
1 envelope de fermento seco para pão (10g) ou 45g de fermento fresco para pão
250 ml de leite morno (quase frio)
¼ de xícara (chá) de açúcar
1 colher (sobremesa) de sal
¼ xícara (chá) de óleo vegetal (usei de canola)
1 ovo 
1 gema de ovo misturada a 1 colher de chá de óleo vegetal + 1 colher (chá) de café preparado para pincelar no pão

Preparo


Numa bacia ou tigela, misture: fermento, açúcar e leite. Acrescente o ovo ligeiramente batido e misture tudo. Acrescente a farinha, xicara a xícara e se necessário, por fim, adicione mais a ½ xícara extra, para que a massa desgrude das mãos (não exagere no acréscimo de farinha, ou o pão ficará duro). Vire a massa sobre a mesa – muito levemente enfarinhada - e sove-a  até que fique lisa. Ponha a bacia com a massa dentro de um saco plástico grande e deixe que a massa descanse até dobrar de volume e ficar leve. Vire de novo a massa sobre a mesa e pressione-a para que ela perca o ar.  Modele o pão e ponha-o numa forma untada. Pincele a mistura de gema sobre o pão e deixe que a massa descanse novamente até que cresça e ultrapasse a borda da forma.  Leve a forma ao forno, em temperatura média (180º C) e deixe que o pão asse por cerca de 40 minutos (até dourar).

*******************************************************

Ah, fiquei de voltar a falar de Nietzsche, e vou tentar resumir o meu ponto de vista sobre ele neste breve parágrafo. Li o que ele escreveu e, no final das contas, achei que o ataque dele ao cristianismo, a virulência contra o ensinamento cristão, o se assumir como o anticristo, as seis leis contra o cristianismo (veja abaixo),  e dizer que o cristianismo "é a maior desgraça da humanidade", invalidou tudo o que ele disse sobre outros assuntos. Acho quase inacreditável que ele tenha escrito essas coisas, tendo estudado as escrituras, como estudou, e sendo filho de um pastor protestante. A mim não me surpreende que os ensinamentos de Niestzsche tenha inspirado gente como Hitler, pois se este deturpou a filosofia de Nietzsche, Nietzsche também deturpou o ensinamento cristão. 

Nota: Acabei de publicar este texto e já recebi um e-mail em que a pessoa dizia: "Pensei que você gostasse de Nietzsche, pois você deu a entender isso, no post anterior!", rsrs.

Olha gente, se dei, peço desculpas, por ter confundido vocês. A verdade é que reconheço que Nietzsche disse coisas muito dignas de reflexão;  quem leu os livros dele sabe disso. Por outro lado, considere um pouco apenas as palavras dele contra o cristianismo, que estou publicando agora e me diga se isto não é de estarrecer qualquer um, mesmo os não cristãos.


(Li os livros acima mais o Aurora, do filósofo. E também o volume sobre Nietzsche da coleção Os Pensadores e um pequeno livro chamado O Pensamento Vivo de Nietzsche)


As 6 leis contra o Cristianismo (texto final do livro "O Anticristo"):

Dadas no dia da Salvação: Primeiro dia do ano Um (em 30 de Setembro de 1888).

Guerra de morte contra o vício: o vício é o cristianismo

Artigo Primeiro – Qualquer espécie de antinatureza é vício. O tipo de homem mais vicioso é  o padre: ele ensina a antinatureza. Contra o padre não há razões: há cadeia.

Artigo Segundo – Qualquer tipo de colaboração a um ofício divino é um atentado contra a moral pública. Seremos mais ríspidos com protestantes que com católicos, e mais ríspidos com os protestantes liberais que com os ortodoxos. Quanto mais próximo se está da ciência, maior o crime de ser cristão. Consequentemente, o maior dos criminosos é filósofo.

Artigo Terceiro – O local amaldiçoado onde o cristianismo chocou seus ovos de basilisco deve ser demolido e transformado no lugar mais infame da Terra, constituirá motivo de pavor para a posteridade. Lá devem ser criadas cobras venenosas.

Artigo Quarto – Pregar a castidade é uma incitação pública à antinatureza. Qualquer desprezo à vida sexual, qualquer tentativa de maculá-la através do conceito de “impureza” é o maior pecado contra o Espírito Santo da Vida.

Artigo Quinto – Comer à mesma mesa que um padre é proibido: quem o fizer será excomungado da sociedade honesta. O padre é o nosso tchandala – ele será proscrito, privado de alimentos, e expulso para um local como o deserto.

Artigo Sexto – A história “sagrada” será chamada pelo nome que merece: história maldita; as palavras “Deus”, “salvador”, “redentor”, “santo” serão usadas como insultos, como alcunhas para criminosos.

(artigo 7º: o resto nasce aqui).



29 comentários:

arte da sadhia disse...

uhummm sabe querida eu faço esta mesma receitade pão mas pguei na net mesmo acho ue foi do panelaterapia e não deram ncreditos Jesus este mundo como está ficando .....eu mesma quando pego uma receuta de amiga seja qual foir eu digo de onde eu fiz ..acho tão bacana dizer que fgiz o pãozinho da amiga né mesmo...amei seu pão e sabe também acho que a massa deve ser tratada como diva amei ,,e parabens mais uma vez bjã grande

Daniela Charleaux disse...

Adorei a dica do pão *-*
Beijos BlogDDC♥

Danni e Lype disse...

Hummm!!! Pão Caseiro é tudo de BOMMM!!!! Senti até o aroma da sua cozinha... DELÍCIA!!!
Grande beijo, Irene

Isabela de Fátima Garcia disse...

Realmente, para as palavras de Nietzche...não há perdão!

Karen disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Entre Tachos e Sabores disse...

Adoro pão leite, sabe tão bem ao pequeno almoço ou ao lanche:) Excelente sugestão!

beijinhos,
Joana

Karen disse...

Bem, textos são sempre sujeitos a interpretações pessoais, não é mesmo? rs

Nietzsche critica não só o cristianismo, mas todas as religiões que pregam que o homem deva se "adequar" de alguma forma, a "ser menos" do que tem potencial, a seguir o famoso "rebanho". No meu ponto de vista, ele diz o mesmo que muitos outros pensadores dizem: que a nobreza e a virtude devem provir espontaneamente do indivíduo após um autoexame e reflexão e não serem impostas por qualquer fonte exterior. Infelizmente, ele tem lá a sua forma meio radical de exprimir isso...

Adriana Balreira disse...

Marly,
Amei a receita de pão, adoro pão. Já deve ter tido isso várias vezes por aqui, só não sei fazer.
Agora acreditas que nunca li nada do Nietzsche! Nem sabia dessa dele de criticar tanto o cristianismo. Tenho que ler as obras dele!
Beijos
Adriana

Marisa Vlasic disse...

Querida Marly, pão é a minha perdição…hehe…sou absolutamente louca por pão e aqui na Alemanha os pães são divinos, mas certamente nunca melhores que um delicioso pão caseiro como esse seu que deve estar uma maravilha !!
Nietzsche não é uma leitura fácil, mas ao mesmo tempo muito interessante, desde o momento que percebemos que a intenção é mostrar, ok, de uma forma exageradamente radical, que podemos pensar por nós mesmos ao invés de aceitar, sem refletir, os dogmas que por vezes nos são impostos…aff, mas esse é um assunto para quem sabe um dia falarmos durante uma deliciosa refeição juntas…rsrs

Beijinhos
Marisa

"Manjares da Manu" disse...

SOU SUPER FÃ DE PÃO CASEIRO!!!!
FICOU DIVINO!!!

BJS...BOM FDS!!!!

Ana Claudia disse...

Adoro pão caseiro... não tem nada mais gostoso.
Beijinhos, bom final de semana.

MINHA VIDA DE CAMPO disse...

Adoro um pão caseiro, nas férias minha mãe sempre fazia pão para nós, ela abria a massa do pão e colocava as geleias que tinha em casa e enrolava, fazia tipo um rocambole, eu e meus irmão íamos no armários e pegávamos um pão inteiro e fugíamos para rua para comer. Que saudades da infância.
Bjos e tenha um ótimo e feliz fim de semana.

Prata da casa disse...

Olá Marly: em primeiro lugar quero dizer que também ando meio baralhada com o acordo ortográfico. Já me estou a habituar a não usar as consoantes mudas, mas ainda há muita regra que me deixa completamente "desesperada".
Segundo: o pão. Lindo,delicioso, com um aspeto (e não aspecto,eheh) maravilhoso. Impossível não gostar.
Terceiro: Nietzche. Não é pelo facto de ele criticar o cristianismo ( de forma algo exagerada,concordo)que vamos deixar de gostar do que ele escreveu, e escreveu coisas muito boas.
Bjs
Márcia

Jussara Silva disse...

Oi Marly! Eu também ando pondo acento onde não tem e por aí vai. Rsrs. Daí eu uso o corretor ortográfico. Amo receita de pão e amo fazer. Bom fim de semana. Bjs.

Jussara

Laura Lucia disse...

Olá, Marly,
Nietzsche realmente tem pensamentos originais fantásticos.Mas o fato de admirar um autor, não nos obriga a concordar com tudo que ele diz.

Ele próprio diz em alguma de suas obras: "Desejas seguir-me? Segue a ti próprio." É o nosso caminho, feito com nossas idéias mais caras, que é a originalidade. É seguir o que nosso coração pede e não o que a sociedade convenciona como o que DEVEMOS fazer. É isto, enfim, a grande questão proposta.

Amei o pão: lindo e prático. Receitinha copiada juntamente com a dos pãezinhos de leite feitos com a mesma massa. Adorei ambas! Obrigada por elas.

Um fim de semana brilhante e o meu afeto pra você, Laura Lucia

Josy disse...

Que belo pãozinho de leite Marlyca, um pãozinho assim no café da manhã é muito bem vindo aqui em casa, ainda mais em se tratando de caseirinho, que não se compara aos comprados né miga? Adorei a a receita, levo comigo ta? Beijinhos um lindo final de semana

Lili disse...

Oi, mãe!

Estava esperando a continuação do texto... Acho que você custa a admitir, mas na verdade tem é uma relação de amor é ódio com Nietzsche. Se fosse só ódio acho que você não se interessaria tanto por ele. Olha o tanto de livros que você leu... Acho que ele te deixa tão irritada que você quer negar tudo que ele fala e demonizá-lo... Mas repare que talvez seja o mesmo que ele faz com relação ao cristianismo. Olha, não estou defendendo ele. Até porque não conheço nem mesmo um livro dele, só aforismos. Estou falando do que parece vendo você falar e te conhecendo.

Calma, mãe!!!

Beijos! Saudades, sua brabenta!!

Lili disse...

Oi, mãe!

Estava esperando a continuação do texto... Acho que você custa a admitir, mas na verdade tem é uma relação de amor é ódio com Nietzsche. Se fosse só ódio acho que você não se interessaria tanto por ele. Olha o tanto de livros que você leu... Acho que ele te deixa tão irritada que você quer negar tudo que ele fala e demonizá-lo... Mas repare que talvez seja o mesmo que ele faz com relação ao cristianismo. Olha, não estou defendendo ele. Até porque não conheço nem mesmo um livro dele, só aforismos. Estou falando do que parece vendo você falar e te conhecendo.

Calma, mãe!!!

Beijos! Saudades, sua brabenta!!

Liliane de Paula disse...

O pão. Ai o pão. Vou ficar doida de tanto tentar fazer o paõ crescer bonito.
O meu cresce na máquina. Qdo sai, mucha em cima.
Acho que vou usar fermento para bolo misturado com Bicarbonado de Sódio.
O que vc acha?

Arione Torres disse...

Oi Marly, que delícia! Adorei!!!
Tenha uma linda semana, beijos e fica com Deus!

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

ROMANZA
mía
nido vía
desvía
este temblor
clamor
hecho perfume
y nogareña
nieve de leña
en ti sueña.
Vespertina
manzana
y bocado
en tu boca.
Sierra
entre la tierra
y las madreselvas
malvas
desgranas
me veas...

...lunas
de miel
con luz
y mi piel
del contraluz
a claridad
con paz
y felicidad
MARLY para tí...


desde mis Blogs Horas Rotas y Aula de Paz
venturoso AÑO 2013.




Milia disse...

Un post realmente interesante, no es habitual encontrar juntos algo tan sencillo como el pan y algo tan complejo como las ideas de Nietzche y en particular las que tenía sobre la religión, pero esto demuestra la talla e la autora del blog, me han encantado las dos cosas y aquí vendría como anillo al dedo aquello de: "no solo de pan vive el hombre"
Un beso y buen domingo

Renata Boechat disse...

Hey Darling,

Prefiro não discutir Filosofia por agora, mesmo porque as minhas bases filosóficas são falhas...rsss...não discuto o que não sei, então deixo o Sr.Nietzsche lá com as ideias estarrecedoras dele, quem sabe um dia já mais a par de tudo eu possa voltar e deixar aqui a minha opinião, por enquanto fico com o pão,
Supimpa!

Ivani disse...

Oi querida Marli, voce está coberta de razão.
São palavras agressivas, que incitam à negação da religião e do cristianismo particularmente.
Voce novamente tem razão quando diz que não é de se estranhar que Hitler tenha sido como foi, sendo discipulo de Nietzsche.
Não podemos porém negar a importância do filósofo em outras áreas, ele foi estupendo!
Mas eu acho que mais estupendo é seu pão, que deve ser deliciosos.
Ele fica com uma casca linda!
Um beijo minha amiga, tenha um bom domingo de chuva!

Luma Rosa disse...

Eu mesma copiei a receita dos pãezinhos de leite, mas ainda não as deixei online. Podexá que quando o fizer, lhe darei os créditos. Como não copiar? (rs*)

Quando a Nietzche e dado a época que escreveu - onde havia uma certa escravidão religiosa, não somente cristã, remetia a toda uma conduta errática dos cristãos principalmente, onde os padres, eram tratados como se fossem verdadeiros apóstolos de Cristo. Sabemos hoje que não é bem assim, mas a época, tinham poucas cabeças pensantes sobre esse aspecto religioso. Tudo era aceito, engolido à seco e motivo de muita discordias, incluindo as guerras. Os povos mais arcaicos ainda brigam por religião. Será sempre assim!
Nessas leituras é importante se situar na época em que foram escritas.
Quanto a influenciar Hitler, não é de todo verdadeiro, mas é certo que este leu "Vontade de Potência", a pedidos de Elisabeth Nietzsche que queria promoção social às custas do irmão.
Aqueles que querem escutar Nietzsche por meio de suas obras devem executar verdadeiro trabalho de pesquisador atento, pois são muitos os jogos de linguagem que ele usa, os trocadilhos e ironias, interjeições etc.
Na história, Feuerbach foi quem primeiro deu descrédito ao cristianismo. Ele afirmava que "deus" e não o contrário. Criou num ser imaginário tudo aquilo que ele desejava ter: sabedoria, imortalidade, onipresença, onisciência e onipotência.

Bom fim de semana!! Beijus,

♥ Wilma ♥ disse...

Hummm, que delícia de pão! Caseiro é melhor ainda...nunca fiz pão pq tem que esperar e tem que ter fermento especial...ai, ai...aí acaba minha vontade...rsrs

tatiane disse...

Marly, sua outra receita de pão de leite, aquela super copiada sem créditos por aí, ainda está na minha lista de pães a serem testados, e creio que vou incluir esta receita também.



Sobre o Nietzsche, já não lembro muita coisa, deve ter uns dez anos desde que estudei algumas obras dele. Lembro que entre outras coisas, ele fazia críticas muito ferozes à sociedade que vivia, que deveria ser superada para o real desenvolvimento do ser humano, então a religião - o cristianismo no caso - entrava no "pacote" das instituições a serem atacadas. Tenho pra mim que se fosse outra religião vigente na época, seria criticada da mesma forma.

beijos e bom domingo!

Solange Honorato disse...

Huuumm... esse pão deve estar uma delícia! Vou fzer!!!

Quando a Nietzche, não li seus livros. Sei lá, talvez por ser um tipo de leitura que não me agrada...

Beijão!

IVANEIDE disse...

Amo pães!! profissional esse!!

Pin It button on image hover