Google+ Followers

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Biscoitos de leite Condensado nº 2 e Umas Coisinhas Sobre a Evolução do Amor



Olá, gente! Ontem resolvi testar a receita dos biscoitinhos de leite condensado, que a minha querida amiga Renata publicou, tempos atrás. Eu costumo fazer uns biscoitinhos semelhantes, mas a receita deles é 'enorme', só as farinhas devem perfazer um quilo e meio, rsrs. E não adianta dividir a receita, pois os biscoitos resultantes não ficam igualmente bons. Já estes ficaram muito gostosos e o blog da Renata também é delicioso, caso você ainda não o conheça, sugiro que dê uma passadinha lá! 
    
Biscoitinhos de leite Condensado
(estou mantendo o texto original) 

 Ingredientes:   
 
350 g de farinha de trigo 
40 g de fécula de batata 
100 g de açúcar 
150 g de manteiga em temperatura ambiente, levemente amaciada
1 ovo batido 
1 colher de chá de fermento em pó (16 g)
leite condensado quanto baste 

Preparo

Misture bem e todos os ingredientes e vá adicionando o leite condensado aos poucos, até que forme uma mistura homogênea, mas cuidado, não amasse muito!    Faça uma bola com a massa e coloque na geladeira para descansar 30  minutos.    Ligue o forno a 180 graus Celsius. Retire a massa da geladeira, abra com um rolo e corte no formato desejado. Leve ao forno  médio por cerca de 15/18 minutos.  

Nota: a receita dos biscoitinhos de leite condensado nº 1, que são bem diferentes destes, está aqui


************************************************




Fazendo os biscoitinhos acima, para o dia dos namorados (ou outro!), você pode servi-lo numa bandeja como esta, com café ou chá. Eu acho que é muito importante mostrar à pessoa que escolhemos para parceiro amoroso, que ele ou ela é especial, sobretudo se a relação já é longa. Digo isso por saber que o tempo, a intimidade e a rotina tendem a fazer desaparecer as pequenas gentilezas, que a gente costuma fazer para o outro, no início da relação. Isso, de certa forma é irônico, pois não deveríamos dispensar melhor tratamento, justamente às pessoas de quem somos mais íntimos? Mas, infelizmente, não é bem isso que acontece, e uma das causas disso é nos descuidarmos dessas pequenas amabilidades. Claro que sei que os relacionamentos são complexos e que a coisa não é tão fácil assim, rsrs. Bem, eu não me iludo, sei que há muitos casais que terão de separar-se; o 'encontro' entre eles terá de ser mesmo provisório, por diversas razões. Contudo, desde que vi o filme 'As Confissões de Schmidt', há muitos anos, sempre que penso em relações longas, me lembro do casamento do casal desse filme. A certa altura, o tal Schmidt diz que tudo o que a esposa dele faz o irrita, até as coisinhas banais e rotineiras. Fiquei pensando nisso, porque com muita gente acontece o mesmo. Depois de uns anos, as pessoas parecem levar a relação adiante por puro comodismo, pois ela não lhes dá o menor prazer. O filme - que é muito bom - não trata disso, este é só um detalhe, mas não é uma pena que muitas pessoas tenham casamentos assim? 

Depois eu li a frase abaixo - com a qual eu concordo - por aí, pela Internet:

     "A paixão passa, o amor lava e cozinha", rsrs.

Todos sabemos que depois da fase da paixão, quando caímos de novo em nós, ou seja, quando recuperamos a nossa individualidade, já não é tão fácil ser 'automaticamente' amável com  o outro não é verdade? rsrs. Mas deveríamos nos esforçar para isso! No início das relações as pessoas - geralmente - como que se fundem no parceiro, e disso nasce uma terceira personalidade, um tipo de Frankenstein romântico, que é uma mistura das duas pessoas do casal. Porém, que ninguém se engane, essa fase tem de passar! Na fase seguinte, em vez da decepção pelo arrefecimento da animação e calor iniciais, ou, em vez de confundir isso com o fim do amor, as pessoas envolvidas deviam perceber que entraram num outro nível de intimidade. Nesse, necessariamente, os sentimentos têm de ir se aprofundando, tornando-se mais verdadeiro e mais real. O amor então já não é mais uma fantasia, mas uma escolha. A paixão passou e o casal tem de 'lavar', 'cozinhar' e fazer - do melhor modo possível -  todas as coisas necessárias para preservar a graça da relação e as alegrias da vida em comum. E isso até que alcancem o nível seguinte, que é aquele em que é possível ensinarem, à nova geração, o que aprenderam sobre o amor. Mas, antes de chegar lá, eu acho que a amabilidade, o esforço para se colocar no lugar do outro, e as pequenas indicações de estima podem fazer milagres pela relação. E nesse contexto, com certeza, estão as celebrações das datas festivas.


                               É isso aí, tim-tim!



                                         

17 comentários:

Beth disse...

Lindos... lindos biscoitos ideais para acompanhar o meu cafezinho, ficaram fantásticos!
Bjs

Pedrita disse...

acho q uma grande dificuldade do amor é compreender que cada um processa de uma forma. q aquilo q achamos ridículo pode ser o máximo pra ele. e não acharmos tão ridículo. acharmos somente diferente. já é um bom caminho para a harmonia e para a manutenção do amor. beijos, pedrita

Liliane de Paula disse...

Penso que marido, companheiro, parceiro é um rei e como tal deve ser tratado.
Mas sou tb, rainha.
Penso que devo manter meu casamento do mesmo jeito de quando éramos namorados.
Já cansei de vê mulheres não darem atenção ao seu rei.
As pessoas casam e esquecem de namorar.
Namorar é preciso.
E os biscoitos? Hum!!!!!! Delícia, sei que estão.
Acredita que continua do mesmo jeito o GUANACHE que comprei em fevereiro?

Denise disse...

Oi, amiga!
Obrigada pela visita!
E não é bão dimais mesmo essa tal de Fortaleza?
Quero um pouquinho deste cafezinho e coisinhas gostosas. Guarda pra mim!
Bjs e ótima quarta-feira.
http://dedeartes-denise.blogspot.com

Gélia Carvalho disse...

Oi Marly,

Adorei os biscoitinhos, vou num polo comercial aqui perto onde moro vou procurar esta fécula de batata.


A bandeja esta linda, mas olha vou te falar a verdade este ano não estou animada com o dia dos namorados.

Bjs

Gélia

São Ribeiro disse...

Ficaram lindos esses biscoitos.
Gosto muito de mimar o meu marido ,com comida que ele gosta ,namorar passear de mãos dadas.
BJ

Coisas de Tássia disse...

Esta semana ainda procurava uma receita de biscoito de leite condensado para fazer para minha filha. Adorei a dica.

que maneira linda de servir. Eu adoro estas bandejas.

Bjos

Renata Boechat disse...

Darling, mas que honra ver uma receita do Eternos Prazeres por aqui, fiquei muito feliz!
Digo que seus biscoitinhos ficaram super chics, com o capricho que te é peculiar, claro!
E a reflexão sobre o amor só me faz concordar, e torcer para que nós todos, tão sem paciência e imediatistas possamos aprender e assimilar estes ensinamentos tão verdadeiros,

Que Viva o Amor, tim tim!

Executiva de Panela disse...

Tim-tim, Marly! Amei o texto! Li saboreando cada palavra do que você escreveu. Tudo muito real, palpável, sem fantasias... Sim, o amor que lida com a realidade deve ser preservado através de pequenos gestos. Concordo plenamente que o tempo deveria refinar as relações e não esculhambar com elas, que é o que acontece em geral. Beijos e feliz dia dos namorados! Paula

Prata da casa disse...

Olá Marly: que delícia de biscoitinhos e com o formato de corações ficaram bem mimosos! Amiga: gostei do texto que me fez refletir, como sempre. Realmente , às vezes, "acomodamo-nos" a uma vida rotineira, mas na verdade, o meu marido é aquele companheiro amigo com quem posso sempre contar para as coisas verdadeiramente importantes, apesar de já estarmos casados há quase 30 anos.
Bjn
Márcia

Zizi Santos disse...

Marly
que post delicioso!
e que receita de biscoitinhos mais gostosa!
o que me seduz são as marquinhas nos biscoitos. São marcadores? (eu a curiosa, rs)
Sou fão dos seus biscoitos também,
e amanhã quero fazer o risoto de alho poró, só me preocupa não ter o vinho branco. e agora?
Lindo texto, que me faz pensar que a fase da paixão deve ser mantida conforme os tempos.Há tempos de ebulição e há tempos de calidez. Mas as vezes, mantem- se é a fase do ciume, ah esse vilão acaba qq relacionamento.
Marly, querida, obrigada pelas lindas palavras no comentário sobre monstrinhos. Creio mesmo que melhores dias virão. Sou muito otimista.
bj
Zizi

✿ chica disse...

Receitas ótima e tuas palavras bem verdadeiras! bjs,chica e um lindo dia!

CRIKA disse...

Owww que biscoitos mais lindos!!! Eu adorei a sua receita, a foto ficou linda e tão delicados!!! Estou levando a sua receita comigo!!! Beijinhos

Zizi Santos disse...

Marly
Eu fiz o risoto! esta la no blog
ficou delicioso!
obrigada!
bjo
Zizi

Andréa disse...

Marly,
eu amo fazer biscoitinhos, fiz a sua receita do biscoitinho de goma, fiz com polvilho doce igual a sua.
Não ficaram lindos como os seus, mas ficaram deliciosos.

Um grande beijo e ótimo fds ♥

Luma Rosa disse...

Oi, Marly!
Eu gosto muito de refletir sobre as relações, tanto as de casais de longa data, quanto aqueles que iniciam uma relação.
Partindo do princípio de que todos nós queremos ser amados e que as frustrações que temos, acontecem simplesmente porque imaginamos demais ou alimentamos algo que provavelmente não seja como e aquilo que o outro também quer - muitas vezes o outro vira uma espécie de muleta para os sentimentos, Como se amar fosse a solução para todos os problemas... penso que o cara que diz que não suporta a esposa e está com ela por ene anos, é porque deve ser um chato de galocha, um vazio ou aquele dependente dela, mas que não quer admitir - o tipo machinho que gosta de ser servido.
Analisando friamente, um casamento é a melhor saída para o homem, para a mulher não. Só que ela muitas vezes carrega uma relação fadada ao fracasso em prol de um romantismo que é só dela, ainda mais quando existem os filhos. Não sei se é por medo de enfrentar o mundo sozinha ou por falta de experimentar uns biscoitinhos de leite condensado! Mas é certo, precisamos adoçar a vida, senão ela amarga! :D
Beijus,

Patricia Merella disse...

Marly querida,amo teus biscoitinhos,tudo tã caprichado como sempre,feliz semana querida,beijinhos

Pin It button on image hover