Google+ Followers

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Bolinho com bombom e Uma Crítica ao filme Leviatã



Olá! O dia de São Valentim (Valentine's Day) é uma ótima desculpa para a gente fazer artesanatos fofos e comidas especiais, né? rsrs. Resolvi me aproveitar dela para fazer estes bolinhos. Na receita original eles eram chamados de "Cookies", embora fossem mesmo bolos, e eu abri mão dela porque não queria bolinhos com manteiga de amendoim na massa, já que ela aparece também nos bombons do recheio.



Aproveitei então só a idéia da receita original. E a idéia era meter um bombom no topo do bolo, ainda quente, para poder saborear o chocolate molinho, mas não totalmente cremoso nem desfeito. O bombom usado nos bolinhos da primeira foto foi o Reese's, o indicado na receita, que é manteiga de amendoim coberta por uma casquinha de chocolate ao leite (tem deles à venda no Carrefour). Mas eu resolvi também inovar e rechear outros bolinhos com o bombom Alpino. A receita que usei para a massa foi a do bolo Nega Maluca (mas eu poderia ter escolhido outra, claro). E a única coisa que fiz foi tirar uma tampinha do bolo ainda quente e introduzir um bombom no furinho. Nos bolinhos da primeira foto eu resolvi fazer uma rápida cobertura de chocolate, porque o bombom Reese's derreteu demais, e estava deixando o bolinho feio (talvez eu devesse ter esperado que os bolinhos esfriassem pelo menos por uns cinco minutos, rsrs).



**************************************************************** 

Leviatã

O Leviatã bíblico

                                         (imagem encontrada na Internet)

O meu interesse pelo leviatã começou quando li o livro de Jó (há muitos anos). Nele há um diálogo entre Jó e Deus, em que Este pergunta: “Podes tu com um anzol apanhar o leviatã? ...”. Na época eu não sabia o que era leviatã, então fui pesquisar a palavra. Descobri que o leviatã bíblico seria talvez como a baleia, um animal muito grande, de água, que por causa do seu tamanho não podia ser apanhado com um anzol. Outras interpretações dizem que o leviatã teria sido um monstro aquático. Na idade média a palavra passou a significar também o demônio representante do 5º pecado, a inveja, que seria um dos príncipes do inferno.
                                                             
                                  O Leviatã de Hobbes


Anos depois, na época da faculdade, eu li o Leviatã de Thomas Hobbes, livro escrito no século XVII, que diz que os homens, para não saírem matando-se uns aos outros, e poderem viver em paz, têm de concordar em se submeterem a um poder absoluto e centralizado (o poder do Estado). 


                               O Leviatã de Andrey Zvyagintsev

                              
                                              (imagem encontrada na Internet)

Filme Leviatã (de 2014), do russo Andrey Zvyagintsev


Assisti ao Leviatã de Andrey Zvyagintsev e o achei uma obra formidável. O filme conta a estória de um mecânico, chamado Kolya (Aleksey Serebryakov), cuja propriedade está sendo confiscada pelo prefeito da cidade. Kolya mora há muitos anos numa casa - construída por ele mesmo – na costa do mar de Barents, no noroeste da Rússia. A oficina de Kolya fica ao lado da casa, e os antepassados do mecânico moraram no mesmo lugar. O prefeito, porém, decidiu que a propriedade tinha de passar à prefeitura. E por um preço muito menor do que o de mercado.  

O mecânico então busca a ajuda de um amigo, advogado, a fim de reverter a decisão do prefeito. Este não é o único problema de Kolya, a estória vai desenrolando-se e outros dramas vão surgindo. Contudo, um dos grandes tormentos do mecânico, que é, inclusive, o assunto principal do filme, é a  cadeia de corrupção que assola o lugar. O ato de abuso mais “inofensivo” é o  cometido por um policial de trânsito, que “pede” a Kolya o "favor" de fazer  um serviço no carro de um amigo dele. Atrelada à corrupção – como sempre acontece - está a burocracia infernal.   

A Igreja também é mostrada de forma ambígua e – vamos combinar – conivente com os desmandos e injustiças existentes. A pregação final do padre, hipócrita e  irônica, é um ultraje ao verdadeiro espírito do cristianismo. O filme é impactante e sombrio. A correlação da estória de Kolya com a de Jó está no crescendo de sofrimentos que recaem sobre o pobre mecânico. E o poder do Estado (referência a Hobbes) é ilimitado e implacável.





 

19 comentários:

Pedrita disse...

que linda mesa. eu nunca me animei com cupcake e bolinhos. beijos, pedrita

✿ chica disse...

Esses bolinhos são ótimos, além de lindos! O filme, não me "chama",rs bjs, chica

Patricia Merella disse...

Como sempre nos presenteando com estas delícias! Vou só olhar,rs..O filme quero muito ver, obrigada pela dica,beijinhos

Patricia Merella disse...

Como sempre nos presenteando com estas delícias! Vou só olhar,rs..O filme quero muito ver, obrigada pela dica,beijinhos

Lili disse...

Fiquei com vontade de ver o filme!!!

Licia Dutra disse...

Linda mesa,os bolinhas também ficaram ótimos,bom para um lanchinho com visita.Bjss.

Coisas de Tássia disse...

Que delicia de bolinho. Amei.
Quanto ao filme ainda não vi, mas está na lista para locar.

Bjos e boa semana

Andréa disse...

Olá Marly!
Bolinhos de chocolates são bem vindos sempre e com bombom molinho melhor ainda. Como sempre vc arrasa!
Fotos lindas e inspiradoras!
Quanto ainda não assisti, obrigada pela dica, fiquei curiosa, rsrs.

Um grande beijo e ótima semana!

Pedrita disse...

marly, essa coleção folha é incrível. e dá pra comprar pela internet. nesse site são os detalhes dos filmes http://astros.folha.com.br/
pela livraria da folha parece q dá bem certo para comprar. nunca tentei http://livraria.folha.com.br/lista/colecao-folha-grandes-astros-do-cinema/15f52f3f
mas amigas já foram atrás depois q eu comentei e compraram facinho. beijos, pedrita

Josy disse...

Querida Marlyca adorei a ideia de colocar um bombom nos bolinhos ainda quentes. Imagino a delicia que ficaram, além de lindos, como sempre. Gostei muito.
Quanto ao filme ainda não assisti, mas pela sua descrição, percebi que trata-se da velha relação estado/igreja/corrupção
Com certeza é um filme bom para assistir e refletir. Obrigada pela dica.

Josy disse...

Esqueci de deixar beijinhos e votos de uma excelente semana miga

Regina Melo-Jocknevich disse...

Tudo muito lindo como sempre Marly, os bolinhos, lindos e deliciosos, os coracoes no bule e no presente, amei a 'ambience' das fotos.

Nao conheco esse filme, parece interessante, e lendo sua narrativa sobre ele me lembrei do Brasil...

Arione Torres disse...

Oi querida amiga, adorei o post!
Que delícia de bolinhos!!! hmmmm!!!
Tenha uma excelente semana, beijos e fique com Deus!!

Prata da casa disse...

Olá Marly: adorei a ideia de colocar um chocolatinho Reese no cupcake ainda morno. Deve ficar uma delícia!
Quanto ao filme, confesso que não ouvi falar,mas parece bem interessante. Infelizmente retrata (alguma) sociedade dos nossos dias.
Bjn
Márcia

Lylia Diógenes disse...

Querida Marly,
Fico muito feliz quando você posta, pois sempre traz delícias. Melhor ainda quando vem acompanhadas de críticas tão esclarecedoras.
Bj e obrigada pela partilha,
Lylia

Liliane de Paula disse...

Quando vejo seus doces até penso que se comesse gostaria.
Mas, não gosto mesmo de bolos e doces.

Luma Rosa disse...

Oi, Marly!
Enquanto o homem se sente satisfeito em ser ovelha mandada pelo Estado/Igreja, seus instintos estarão sob controle?
Ainda não assisti o filme e será uma boa pedida para o periodo de carnaval. Já anotado!
Imaginei logo o efeito de colocar o chocolate no bolinho ainda quente... Talvez um chocolate mais durinho demorasse mais para derreter, mas daí conforme esfria, ele não endurece?
Beijus,

Arione Torres disse...

Oi querida amiga, vim lhe desejar uma excelente semana, beijos e fique com Deus!!!!

Abril Sampere disse...

Qué gusto encontrar tu blog!!!me quedo por aquí. Te invito que visites el mío, saludos, Abril

Pin It button on image hover