Google+ Followers

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Praliné, o que rolou na cozinha, durante a semana, e os últimos livros lidos


Olá e bom fim de semana para todos! Para quem não sabe, Praliné é tipo uma farofa, feita de um caramelo endurecido e enriquecido com alguma (ou várias) 'nuts" (castanhas, nozes, amendoim, etc). Muita gente confunde o Praliné com o Nougat (ou Nougatine) que é o mesmo doce não quebrado, não transformado em pó.  O Praliné é muito utilizado para acompanhar sobremesas e também em recheios, aos quais ele acrescenta crocância e sabor.


A minha receita do Praliné é muito simples: o mesmo peso de açúcar e 'nuts', sendo que estas entram na calda no momento em que ela se torna um caramelo. As 'nuts' são previamente torradas (mas há quem faça a receita sem isso). E há também os que acrescentem sumo de limão ou outro ingrediente à mistura, para incrementá-la ou destacar o sabor das castanhas. Fiz este com amêndoas torradas.

Praliné (de amêndoas torradas)

Ingredientes

200 gramas de açúcar
200 gramas de amêndoas torradas  
3/4 de xícara de água

Preparo


Tenha já em mãos as amêndoas torradas. Reserve-as. Unte com manteiga uma superfície lisa e limpa (como uma bancada de mármore, por exemplo). Numa panela de fundo grosso (de preferência) faça uma calda com a água e o açúcar e deixe que a calda cozinhe (sem mexer nela!) até que ganhe uma cor marrom (ponto de caramelo, que é quando você joga um pouquinho da calda quente num pires com água fria, e ela endurece imediatamente. A temperatura neste ponto pode variar de 121 a 131º C). Junte as amêndoas ao caramelo (misturando bem) e verta tudo sobre a superfície preparada. Espere que esfrie e endureça. Solte o caramelo, pelas bordas, com uma faca, e quebre-o em pedaços bem pequenos, com um martelinho de cozinha (gosto de colocar os pedaços grandes do doce num saco plástico grosso, antes de quebrá-lo bem).


Cozinhei muito nesta semana, e ainda fiz alguns extras, como estas tortas de bacalhau e o bolo de cenoura americano, que também foi publicado primeiramente aqui no blog (numa tradução e adaptação da receita  clássica, feitas por mim). Esta receita depois se espalhou pela blogosfera de língua portuguesa, que quase nunca reconhece a origem dela. 




a receita desta torta foi postada aqui.


Bolo de cenoura norte-americano (úmido, temperado com especiarias e enriquecido com 'nuts'). A receita foi publicada pela primeira vez aqui, em 2009. Mas vou postá-la abaixo novamente, para que vocês possam reconhecê-la, quando a virem em outro site (já a achei em áginas que copiou até a minha redação!) 

Bolo de cenoura norte-americano (com nozes)
Ingredientes

4 ovos
1 e 1/4 de xícara (chá) de óleo de cozinha (usei apenas 3/4 xícara de óleo de girassol)
2 xícaras (chá) de açúcar
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
2 colheres (chá) de bicarbonato de sódio*
2 colheres (chá) de fermento em pó*
1/2 colher (chá) de sal
2 colheres (chá) de canela moída**
3 xícaras (chá) de cenoura ralada no ralo grosso (na parte que fica parecendo flocos finos)
1 xícara (chá) de nozes picadas em pedaços não muito pequenos

Preparo

Ligue o forno à temperatura de 180ºC. Unte e enfarinhe um tabuleiro grande de 30cm por 40cm. (se for usado tabuleiro um pouco menor, o bolo fica mais alto; se pouco maior, mais baixo).
Bata no liquidificador (por dois minutos): o óleo, os ovos, o sal, e o açúcar.
Enquanto isso, peneire numa tigela à parte, a farinha a canela e o fermento.
Junte o batido no liquidificador à farinha. Acrescente a cenoura ralada e as nozes e misture tudo com um garfo.
Verta a massa na forma preparada e leve-a ao forno por cerca de 45 minutos ou até que o bolo passe no teste do palito.

Cobertura


Ingredientes


1/2 xícara (chá) de manteiga em temperatura ambiente
227 gramas de cream cheese (queijo cremoso tipo Philadelphia)- usei só 150 gramas, desta vez
4 xícaras (chá) de açucar de confeiteiro (usei só 3 xícaras, desta vez)
1 colher (chá) de essência de baunilha

Preparo


Ponha todos os ingredientes na tigela da batedeira e misture tudo com um garfo. Após isso, leve a tigela à batedeira e bata até que a misture fique cremosa e fofa (dois minutos). Aplique a cobertura no bolo.

Notas:


* - Substituí as colheres de chá bicarbonato e fermento, por uma única colher de sopa de fermento em pó, pois não gosto muito do sabor residual do bicarbonato.
Se você não se importa, faça como manda a receita.

** - Acrescentei ao meu bolo: 1 colher (chá) de cravo em pó; 1/2 colher (chá) de noz-moscada em pó
1 pitada de cardamomo em pó. 



a fatia do bolo de cenoura norte-americano



E os livros destes primeiros dias de outubro:



Rio em Shamas, de Anderson França, o Dinho.

Eu nunca havia ouvido falar do Anderson França, apesar de ele ter milhares de seguidores no Facebook. Contudo, passaram-me este livro com a recomendação de lê-lo, e assim que o comecei  a folhear, engatei na leitura e só o deixei depois de tê-la concluído. Trata-se de um escritor que apesar de ter iniciado duas faculdades, faz questão de escrever do modo como fala, então a chamada norma culta passa longe dele, rsrs.

Os textos do Anderson, porém, são tão carregados de ... brasilidade  e humor que a gente simplesmente não consegue parar de lê-los. Mas, que ninguém se engane, a crítica à desigualdade social e a outras mazelas vigentes em nosso país está inteirinha lá. O Anderson é filho de retirantes nordestinos e muito conhecedor das dificuldades que tal condição acarreta. Mas é com humor que ele fala delas e também de um Rio de Janeiro que é desconhecido de muitos cariocas, que é o da gente que mora em locais como Madureira e Cavalcanti, pega ônibus e vai ao Cadeg (um tipo de Ceasa) de madrugada. Achei a leitura deste livro muito válida!

Trechinho do livro:

“Eu achava que de noite uns satanazes entravam no meu quarto para me atormentar. Isso até o dia que minha mãe me disse: Cavalcanti é muito longe, Satanás não vem aqui, não.”

****************

Como conversar com um fascista, de Márcia Tiburi.

Márcia é professora de filosofia e eu, por causa dos tempos sombrios que estamos a atravessar, tenho me voltado também para os livros que abordam os problemas que temos enfrentado, como o recrudescimento do conservadorismo, com o reaparecimento de reacionários e fascistas.

Quem já se deu ao trabalho de ler os comentários, publicados em posts sobre política e assuntos afins, percebeu que a conversa entre os que pensam de modo diferente tornou-se praticamente impossível. Em vez disso, o que vemos é a troca de insultos, os ódios e a barbárie. Qual seria o remédio para isso? Segundo a autora é o diálogo, pois “o diálogo é a forma específica do ativismo filosófico.”

***************

E é só para ao momento. Até breve!



10 comentários:

Prata da casa disse...

Olá Marly: gosto muito deste bolo de cenoura americano. Tenho uma receita " light" , pois não leva óleo, que é igualmente deliciosa.
Os livros não conheço nem os autores, mas hei de pesquisar.
Bjn
Márcia

Pedrita disse...

fazer praliné deve ser trabalhoso. eu comi nesse fim de semana um doce de maçã com uvas passas e em cima tinha uma farofa. nós chamamos de farofa. mas olhando o seu praliné acho que era isso aí. fica uma delícia. lindos os desenhos nas tortas. ficou lindo e diferente o bolo de cenoura. amo bolos de cenoura. realmente as pessoas estão muito radicais em suas ideais e quem pensa diferente é massacrado. eu não me entusiasmei com o livro da tiburi pq em um vídeo ela exatamente radicalizava como se soubesse a verdade que ningúem sabe. beijos, pedrita

A Paixão da Isa disse...

tudo mt bonito as fotos elas falam por elas essas tartes estam 5* adorei bjs bfs

Patricia Merella disse...

Querida Marly! Que deleite ver estas imagens.Eu nunca comi este bolo de cenoura americano,acredita?Praliné,eu compro pronto por cá n é caro. Sabia q era uma farinha de frutos secos mas n sabia q tinha caramelo.Grata pela tua linda e deliciosa partilha. Amiga,estas tortas de bacalhau parece divina.Sempre encomendava em festas em casa quando morava no Brasil.Tu é tão caprichosa.Bom fim de semana amiga,Beijinhos

O meu pensamento viaja disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
O meu pensamento viaja disse...

Marly, obrigada pela receita. Vou experimentar. .
Beijinhos

Claudia disse...

Adoro praliné! As tartes estão verdadeiramente maravilhosas e perfeitas. Parabéns! Adorei. beijinhos

https://saboresdoninho.blogspot.pt

Adriana Balreira disse...

Marly,
Amo um pralinê para colocar nas camadas de um pavê! Assim coloco crocancia a essa sobremesa tão cremosa. O bolo de cenoura americano é tão diferente do nosso né! Ficou lindo o seu. E essas duas tortas???? Gente que coisa mais lindas! Amei, morro de vontade de fazer e sem coragem de fazer.
Esse livro Chamas já ouvi falar mas não tinha visto ainda alguém que tenha lido ele. Bom saber que é bom. Adoro ler autores brasileiros.
A Marcia Tibulri é que não curto muito ela, nunca li nada dela. Só vejo suas falas.
Beijos
Adriana

Luciana F. Damiano disse...

Suas fotos são de encher os olhos!!
E que tortas lindas....
Parabéns pelo seu capricho
Boa semana
beijos

Maristela Guilherme disse...

Lindos quitutes.
A decoração das tortas está linda.
bjinhos

Pin It button on image hover