quarta-feira, 17 de maio de 2023

Dia das mães de 2023 e duas questões 'da hora', para se pensar



 

Olá, queridos leitores! Eis-me de volta, bem-vindos de volta também!
 
Não pude fazer um bolinho para oferecer à minha mãe, no último dia das mães. E como eu soube que não poderia fazê-lo, uns dias antes, tratei de o encomendar na padaria (aproveitei e encomendei outro, para a minha sogra).
Contudo, a pessoa que encarreguei de apanhar os bolos 'conseguiu' fazer com que se deslocassem do centro do prato, durante o transporte. Achei isso muito estranho. Primeiramente porque bolinhos como os da foto são entregues em caixas que tornam difícl a possibilidade de deslocamentos deles. E depois porque a distância entre a casa padaria é pequena.
Mas o fato é que me vi com dois bolos que tinham a cobertura um pouco 'comprometidas', rsrs. 
Eu não pensei duas vezes, tirei a cobertura original e apliquei outra (que são as vistas nas fotos). Porém, como todos sabem, esse tipo de trabalho, quando feito sem planejamento e na base do improviso, raramente resulta perfeito, então é por isso que eles ficaram como são vistos aí nas fotos, rsrs. 

Ganhei vários presentes de minhas filhas, mas só vou mostrar os cartões e dois dos quadrinhos feitos por Lili (que quero pendurar num cantinho da casa).


Eu também havia montado umas mesas, para o dia das mães, a fim de inspirar a quem se interessasse.



As duas questões para reflexão:

Todos já perceberam que várias questões sociais têm sido colocadas nas mídias, nos últimos anos. Penso que a razão disso é o fato de o mundo estar passando por uma fase de reformulação. A revolução tecnológica, a inteligência artificial, etc. têm imposto mudanças significativas, no modo como vivemos. Como consequência, temas que impactam as mudanças em curso voltaram à discussão. 

Trago hoje o meu ponto de vista sobre dois dos temas discutidos. E você, o que pensa deles?

1 - O feminismo ainda é importante?

Hoje, dia dezessete de maio de 2023, li um comentário em rede social, em que uma mulher se referia às feministas como “acéfalas”. Ela dizia também que era casada, mas resolvia os próprios problemas (procurava ser independente e também "buscava pensar" com a própria cabeça).

Fiquei a matutar nisso, porque todo o pequeno discurso feito por aquela mulher foi claramente inculcado na mente dela, nesses últimos anos, sem que ela se desse conta. De 2012 para cá, o mesmo discurso foi  repetido, infinitas vezes, nas redes sociais.

E trata-se de um discurso injusto (para com as feministas e para com as mulheres, de modo geral) e descabido, por revelar que a tal mulher desconhece o assunto sobre o qual opinava. 

O desconhecimento da história do trajeto das mulheres no mundo é que causa, em muitas mulheres, o equívoco de que as coisas sempre foram, como são hoje em dia.

Hoje elas estudam, trabalham, podem ser economicamente independentes, podem buscar as soluções dos próprios problemas, pensar com a própria cabeça... e podem até mesmo ser presidentes dos seus países.

Mas foi sempre assim?

Não, não foi, muitíssimo pelo contrário. Até pouco tempo atrás as mulheres enfrentavam problemas - apenas por serem mulheres - que hoje seriam considerados surreais. E embora muitos dos problemas passados tenham sido superados (ao preço de sangue, suor e lágrimas, que fique claro!) através das lutas de várias gerações de mulheres (que depois foram chamadas de “feministas”), ainda enfrentamos muitos desafios, o maior deles é o escandaloso índice de feminicídios registrados no país.

Os privilégios dos homens foram baseados em sexismo, que é a crença de que eles são mais valiosos e, portanto, superiores, às mulheres. 

A diferença salarial, a opressão – em suas variadas formas -, a violência contra mulheres, etc. etc. são consequências diretas disso.

Conclusão: o feminismo foi importante e continua sendo importante e necessário. E o simples fato de esse assunto ter sido trazido à baila, num momento em que as mulheres reivindicam igualdade e justiça, no que é cabível, é prova cabal disso! 

                                        ******************

2- Existe racismo reverso?

Há pessoas brancas que dizem existir racismo contra brancos. E dão como exemplo o fato de conhecerem negros que odeiam, prejudicam ou excluem pessoas brancas de suas vidas. E isso quando não dizem que foram elas mesmas as vítimas de alguma ação negativa, cometida por negros.

Isso não é racismo, pois há pessoas brancas que fazem o mesmo contra outras pessoas brancas. E ninguém ousaria dizer que as ações dessas pessoas brancas, contra outras pessoas brancas, foram motivadas por racismo.

O racismo é caracterizado primeiramente pelo PODER diferenciado que existe entre negros e brancos. Vou dar um exemplo: Pode existir um grupo de negros que odeie realmente um grupo de brancos. E que também seja capaz de ‘puxar o tapete’ de brancos.  Mas o grupo de negros NÃO TEM COMO INSTITUCIONALIZAR AÇÕES QUE PREJUDIQUEM OS BRANCOS. Eles não podem criar leis ou costumes que prejudiquem os brancos. E os negros também não se colocam como tendo o direito de DEFINIR OS TERMOS DA EXISTÊNCIA dos brancos. 

É esta a diferença entre racismo e malquerenças e desavenças entre pessoas. 

Quando se proibia a educação (e mesmo a alfabetização aos negros) a proibição era expressa em lei.

Quando se obrigavam pessoas negras a cederem o assento, em ônibus, às pessoas brancas, isso também era expresso em lei. Enfim, ninguém concebe que um grupo de pessoas negras, por mais poderosas que sejam essas pessoas, criem leis que prejudiquem os brancos.

Alguém pode argumentar que proibições, como as citadas acima (e muitas outras), ‘baixadas em lei’ não existem mais. Porém, os negros ainda sofrem os efeitos dos longos séculos de discriminação e desfavorecimentos, pelos quais passaram. E a prova disso são as diversas estatísticas negativas, referentes aos negros: são mais pobres, são menos escolarizados, têm salários menores, etc.


22 comentários:

Stefania disse...

Mi dispiace molto che la torta che hai preso in pasticceria nel trasporto si sia un po' rovinata.
Però tu hai fatto veramente un grandissimo recupero, entrambe le torte erano bellissime.

chica disse...

Marly, que bom te ver voltando! Com tuas mãos de fada, conseguiste dar um belo jeito nas tortas e ficaram muito legais!
Adorei teus presentes do dia das mães .Que amor os quadrinhos e cartões! Quanto às reflexões? Pegaste dois temas que existem e nos fazem muito pensar. Os tempos avançam e ainda vemos ambas situações!
Deixo um beijo, desejando tuuuuuuuuudo de bom! chica

Roselia Bezerra disse...

Boa tardinha de paz, querida amiga Marly!
O bolo ficou ótimo em aspecto, fique tranquila!
Sei que 'profissionais' da cozinha esmeradas como você é, não se conformam com tapeações, rs... Confesso que nem me daria conta do que houve anteriormente à chegada à minha casa de um bolinho assim.
Os casos de feminicídios por aqui em meu Estado está assustador e a culpa ainda é da mulher...
Ontem passou no jornal o tal índice que aumenta todo santo dia... uma barbaridade.

Quanto ao preconceito, minha avó casou-se com um homem negro e foi muito feliz. Sendo assim, tenho parentes mesclados e o segundo casamento dela (ambos viúvos) foi com um mulato, imagine só, ela era branca. Não fui criada com preconceito de cor... minha prima mais amiga e alegre era negra.
Não entendo tal discriminação, se são pessoas como as demais.
Confesso que já vi negros rechaçando brancos também.
Tenha dias abençoados!
Beijinhos

Pedrita disse...

que lindo o bolo. ah, mas são lindos mesmo. nem sempre damos conta de tudo e fez muito bem dividir as tarefas. ah, e vc não achou q estavam perfeitos? eita. ficaram lindos. que quadrinhos lindos. família talentosa. beijos, pedrita

Sérgio Santos disse...

Nem dá pra perceber o improviso, Marly. Ficou lindo. E que voce tenha tido um lindo dia das mães. bjssss

Heloísa Sérvulo da Cunha disse...

Querida amiga,
Como estou fora do universo dos blogs há muito tempo, nem percebi que você estava meio afastada.
Vi seu post no Instagram, e vim correndo participar do dia das mães. Realmente, com sua arte, você deu um jeito fantástico nos bolos. Ficaram lindos.
Um mimo os cartões que ganhou das filhas, e um encanto os quadrinhos.
Quanto aos temas para debate, muito importantes.
Vivemos em regiões de progresso e, talvez por isso, muitos achem que a luta pelos direitos das mulheres seja desnecessária. Mas nesse país imenso, com regiões desfavorecidas e pouco desenvolvimento social, é preciso manter vivo o espirito do feminismo, de luta pela igualdade.
E o racismo, chaga social milenar, precisa ser banido com toda força da sociedade. Essa questão de racismo reverso chega a ser cômica.
Beijos.

Estou ensaiando uma volta ao meu blog.

Vanessa disse...

Oi.
Eu amei os bolos apesar do trabalho que te deu.

Amei o presente da sua filha para você e as inspirações da mesa são lindas.
Beijos.


https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

Sérgio Santos disse...

Que presentes lindos voce ganhou, Marly! Bom fim de semana.

Verena disse...

Os bolos estão com aparência ótima, Marly.
Deviam estar deliciosos e é isso que importa.
Não tenho preconceito algum.
Todos estamos aqui de passagem.
Perante Deus somos todos iguais.
Te desejo um abençoado fim de semana.
Muitos beijinhos
Verena.

Luiz Gomes disse...

Boa tarde de segunda-feira e obrigado pela visita.
Minha querida amiga Marly, excelente reflexão, combina com os últimos acontecimentos com o Vinicius Jr.
Luiz Gomes

Coisas de Feltro disse...

Tudo com um optimo aspecto.
Beijinhos

Sérgio Santos disse...

Os presentes que voce ganhou foram lindos, Marly. O cartão deitado é o mais bonito. Bjs e bom fim de semana.

Luiz Gomes disse...

Boa tarde e bom início de semana. Obrigado pela visita e carinho.
Minha querida amiga Marly, nosso artesanato é maravilhoso.
Luiz Gomes

Verena disse...

Venho agradecer o seu carinho lá no blog, querida Marli
Tenha uma abençoada semana.
Beijinhos
Verena.

Viagens pelo Rio de Janeiro e Brasil. disse...

Boa tarde de quarta-feira. Obrigado pela visita e carinho.
Marly, o Museu de Ciências da Terra, recebeu de volta, alguns fósseis que foram retirados ilegalmente do Brasil.
Luiz Gomes

Magda Carvalho disse...

o bolo é super mimoso, o resto de uma boa semana

http://retromaggie.blogspot.com/

Camila Faria disse...

Oi Marly, eu acho que você fez um ótimo trabalho com a cobertura dos bolos, eles ficaram bem lindinhos. <3 Amei os quadrinhos que a sua filha fez, que talentosa! E concordo com ambas as suas opiniões sobre os assuntos citados. O feminismo é simplesmente a noção de que as mulheres DEVEM ter os mesmos direitos e oportunidades que os homens, não vejo como alguém pode ser contra isso. E racismo reverso realmente é uma grande bobagem, só falando assim mesmo. Beijos!

Viagens pelo Rio de Janeiro e Brasil. disse...

Boa Noite minha querida amiga Marly.
Quem diria que disquetes antigos virariam obras de arte.

Luiz Gomes.

Luiz Gomes disse...

Boa tarde minha querida amiga Marly. Não é fácil ter um Blogger e ter conteúdo. Esse mês será dedicado a exposições e no próximo a cidade do Rio de Janeiro.

Giorgio Thieme disse...

Post molto interessante.
Ti lascio il mio saluto

Juvenal Nunes disse...

Fiquei um pouco triste por não ter sido dada a devida importância às mães, uma vez que a reboque da celebração desse dia emergiram outros assuntos que não devem, no meu entender, ser misturados.
Cada caso no seu tempo e cada discussão no seu devido lugar.
Abraço amigo.
Juvenal Nunes

Teresa Isabel Silva disse...

Adorei as inspirações, aqui em Portugal já se celebrou, mas vou guardar as inspirações para a próxima!

Bjxxx
Ontem é só Memória | Facebook | Instagram | Youtube

Pin It button on image hover