sábado, 29 de maio de 2021

Focaccia, o que rolou e o que deve vir por aí...

 Olá, meus amores, espero que todos estejam muito bem! 

Como sempre, estive cozinhando muito, nos últimos dias, mas, ou os pratos preparados eram os da rotina (cujas receitas já foram publicadas aqui), ou não eram lá grande coisa, como foi o caso da sobremesa de chocolate da foto abaixo, muito bonita, mas rejeitada pelos 'provadores' daqui de casa, rsrs. 

Mas teve também, claro, receitas aprovadas, como a dessa focaccia, que publico agora. 

A focaccia é um pão italiano baixo (geralmente fica com uns dois centímetros de altura), coberto quase sempre com alecrim e sal grosso.

Eu quis inovar e acrescentei tomatinhos (temperados com azeite e majericão), e azeitonas (sem e com recheios). O resultado é sempre saboroso. 



Focaccia

(receita daqui)

Ingredientes

500g de farinha para pão do tipo forte, mais um pouco para polvilhar na mesa

7g de fermento seco (para pão) de ação rápida

2 colheres de chá de sal marinho fino

5 colheres de sopa de azeite, mais um extra para untar a assadeira e também para servir

1 colher de chá de sal marinho grosso (para salpicar sobre a massa)

raminhos de alecrim fresco

acréscimo meu:

- tomatinhos temperados com azeite, sal e manjericão fresco picadinho

- azeitonas

Método

PASSO 1

Coloque a farinha em uma tigela grande . Misture o fermento em um lado da farinha e o sal fino no outro lado. Em seguida, misture tudo junto (esta separação inicial evita que o sal mate o fermento).

PASSO 2

Faça um buraco no meio da farinha e acrescente 2 colheres de sopa de azeite de oliva extra virgem e de 350 a 400ml de água morna, acrescentando aos poucos até obter uma massa levemente pegajosa (atenção! Você pode não precisar utilizar toda a água!). Polvilhe a superfície de trabalho com farinha e vire a massa sobre ela, raspando nas laterais da tigela. Sove por 5-10 minutos até que a massa fique macia e menos pegajosa. Coloque a massa em uma tigela limpa, cubra com um pano de prato e deixe fermentar por 1 hora até dobrar de tamanho (geralmente eu ponho as minhas tigelas com massas de pão dentro de um saco plástico grande e fecho o saco).

PASSO 3

Unte com azeite uma assadeira retangular rasa (25 x 35 cm). Vire a massa sobre a superfície de trabalho e estique-a para encher a forma. Cubra com um pano de prato e deixe fermentar por mais 35-45 minutos (eu abri a minha massa na própria assadeira e meti depois a assadeira dentro do saco plástico grande, para que a massa voltasse a levedar).

PASSO 4

Aqueça o forno a 200ºC ventilador / gás 7. Pressione os dedos na massa para fazer covinhas. Misture 1½ colher de sopa de azeite + 1 colher de sopa de água e o sal em flocos e regue o pão (não incluí o sal nesta mistura, salpiquei-o depois sobre o pão). Espete raminhos de alecrim nas covinhas da massa (acrescentei os tomatinhos temperados, cortados ao meio e as azeitonas)

 PASSO 5

Asse por 20 minutos até dourar. Enquanto o pão ainda está quente, regue com 1 a 2 colheres de sopa de azeite. Corte em quadradinhos e sirva quente ou frio com azeite extra, se desejar.


Como mencionei, testei a receita da sobremesa de chocolate da foto abaixo, que vi num vídeo estrangeiro. Ela leva ágar ágar, que é a substância que lhe dá consistência. Mas o pessoal cá de casa não gostou do sabor desta iguaria (fiquei pensando que talvez eu possa ajustar a receita ao nosso paladar, mas vou decidir depois se faço mesmo isso).



No mais, li o livro O Natimorto, do Lourenço Mutarelli, que me foi passado por minha filha Lili, que o leu e gostou. 
O texto é igual ao de uma peça de teatro, e gira em torno da conversa entre um agente artístico e a cantora que ele descobriu e tenciona lançar. Ambos os personagens são fumantes e comentam o tempo todo sobre as fotos de advertência, que vêm impressas nos maços de cigarro, sendo uma delas a de uma criança natimorta.


                                          

Bom, estamos praticamente às vésperas do mês de junho, mês das festas juninas e do dia dos namorados. Eu sempre gosto de postar sobre esses dois assuntos e devo fazer isso em breve. Para provocar um gostinho em vocês, publico agora  estas imagens de dias dos namorados de anos passados. 

          cubinhos de açúcar? Não, corações de açúcar! (veja como fazê-los aqui
          
                E mesas para o dia dos namorados? Já publiquei muitas, como as duas das fotos abaixo!



Enfim, não percam os próximos posts! Até lá!


terça-feira, 11 de maio de 2021

Penne com frango e brócolis e o que rolou no dia das mães


 

Olá, queridos, tudo bem? Espero que sim!

Esta massa tem sido muito servida por aqui, pois tornou-se a queridinha do povo da casa (por povo da casa entenda a família, excetuando eu, que estou cada vez mais vegetariana). Ela é fácil de fazer, é simultaneamente simples e sofistificada, rende bem, e é prato único (acrescento a ela apenas uma boa salada), e essas são boas razões para a gente eleger um prato como um dos de execução preferida, né não?

As fotos não saíram muito boas porque - em todas as vezes - a massa foi fotografada ainda fumegante, o que resultou no embaçamento da lente da câmara.

Mas eu espero que dê para ver que eu tenho variado umas coisinhas no preparo dela: às vezes a sirvo simples (tipo uma massa ao alho e óleo, com brócolis e frango). Outras vezes acrescento creme e queijo e ainda a levo rapidamente ao forno, para que o queijo derreta.

Penne com frango e brócolis

Ingredientes

500 gramas de macarrão tipo penne, grano duro

1 bom peito de frango desossado e cortado em cubos  (mais ou menos 600 gramas)

1 unidade de brócolis tipo bola

½ colher de chá de sal para cozinhar o brócolis

1 colher de sobremesa (rasa) de sal para temperar o frango (ou sal a gosto)

1 colher de sopa caprichada de sal (para o cozimento da massa)

½  cebola grande picadinha

3 dentes de alho grandes esmagados (para o frango)

1 dente de alho esmagado para o brócolis

¼ de xícara de óleo de cozinha para fritar o frango

2 colheres de sopa de manteiga

1 colher de sopa de óleo de cozinha

Sal e pimenta do reino a gosto, para finalizar

Opcionais

400 gramas de creme de leite meio magro (mais ou menos 17% de gordura)

1 xícara de queijo parmesão ralado na ocasião

Como fazer

Um pouco antes do preparo do prato, tempere os cubos de frango com sal e alho, para que possam absorver os temperos (eu coloco os cubinhos temperados num saquinho plástico e levo o saquinho à geladeira até o momento em que o frango será frito; e, por falar nisso, desta vez fritei o frango na Airfryer). Aqueça o óleo separado para a fritura do frango numa panela, e vá fritando os cubinhos, numas 3 levas. A cada leva, recolha os cubos fritos, passando-os para uma vasilha plana forrada com papel toalha. Coloque uns dois ou mais litros de água (tem que ser suficiente para cobrir a massa) numa panela funda e acrescente 1 colher de sopa de sal a esta água. Quando ela levantar fervura, acrescente o penne e deixe que cozinhe até que fique ‘al dente’ (macio, mas não mole, veja as instruções na embalagem da massa). Enquanto isso, separe os floretes do brócolis e leve-os a cozinhar em água com o sal (eles também não podem ficar moles).  Depois de cozidos, escorra a água do brócolis e reserve-o. Ponha a manteiga e o óleo numa panela grande. Leve a panela ao fogo e espere que a mistura de manteiga e óleo aqueça. Jogue a cebola picada nesta panela e quando a cebola ficar transparente, acrescente o dente de alho esmagado, reservado ao brócolis. Espere que a cebola e o alho dourem levemente e então jogue o brócolis na mesma panela. Deixe que ele frite ligeiramente, revolvendo tudo, o tempo todo. Escorra massa, e junte-a ao brócolis. Acrescente o creme (se for usá-lo) a pimenta e o queijo. Sirva imediatamente.

                                       
O dia das mães foi muito bom: tranquilo e cheio de coisas que eu gosto: família reunida, boa comida (servi um salmão cuja receita quero postar depois), carinho e presentes que eram exatamente o que eu queria (há anos, em todas as ocasiões em que querem me presentear, as meninas  exigem que eu lhes passe uma listinha do que gostaria de ganhar, para que elas possam escolher o que comprar sem risco de errar, rsrs). 

Fiz duas sobremesas para a ocasião: uma para o meu marido, que está fazendo dieta, e esta pavlova para o restante da família. 


A Pavlova também é uma iguaria simples e sofisticada. Parece um suspirão, mas difere do suspiro simples por ter um interior macio e esponjoso. Ela é - geralmente -   servida com creme chantilly + frutas (prefiro as mais ácidas, para que o sabor final fique mais equilibrado). Tenho usado a receita do link a seguir, que faz uma Pavlova grande (12 porções ou mais) e, na minha opinião, perfeita. Encontre-a aqui.



Também tivemos mesa posta e flores, já que todos sabemos que a vida é curta e que é melhor desfrutar "do aqui e agora" do que adiar as alegrias para momentos "especiais".


 Os presentes: dois livros (Grandes Esperanças, de Charles Dickens e Dos Delitos e das Penas de Cesare Beccaria); cartão, perfumes e outras coisinhas.

E é só para o momento. Até breve!



sábado, 17 de abril de 2021

Bolo de milho com creme de limão e os ecos da Páscoa



Olá, queridos leitores. Desde o último post fiz várias coisas e até tirei fotos de muitas delas. Mas faltou-me o ânimo para vir mostrá-las a vocês. Sei lá, talvez eu tenha, finalmente, caído no abatimento provocado pelo lockdown. Contudo, estou me esforçando para voltar ao meu estado normal, que é o de entusiasmo, rsrs. 

A receita deste bolo, úmido e gostoso, que é de milho e tem ainda a particularidade de não levar farinha de trigo (é livre de Glúten!), foi postada pela primeira vez aqui, em 2009 (há doze anos!). De lá pra cá ela já foi replicada em inúmeros blogs e sites, web a fora. Eu já fiz este bolo em várias versões, sendo a com cobertura de curau a mais popular. Desta vez eu quis variar a receita, tanto da massa quanto da cobertura, e o resultado foi bem bom. Para a cobertura, lancei mão do prático creme de limão que é feito apenas com sumo de limão e leite condensado (quis aproveitar uma lata de leite condensado, quase cheia, que estava a 'rolar' pela geladeira), mas você pode usar o creme que preferir, ou não usar nenhum. Eu também usei milho enlatado, mas você pode - se desejar - substituí-lo pelo milho de 2 espigas (frescas e macias).

Bolo de milho SEM GLÚTEN fácil e delicioso - receita aumentada - (use a lata vazia do milho como medida)

Ingredientes

1 lata de milho em conserva sem a água
1 lata de leite
1 e 1/4 lata de açúcar
1 e 1/2 lata de flocos de milho pré-cozidos (Milharina, Cuscuzmil ou similar)
1\2 lata de óleo vegetal (milho, soja ou outro)
1 colher (sopa) de fermento
1/4 de colher de chá de sal (é uma boa pitada!)
4 ovos
50g de coco ralado (ou queijo ralado)/opcional

Preparo

Bata no liquidificador:
O milho, o leite, os ovos, o açúcar e o óleo. Numa tigela à parte, junte o conteúdo do copo do liquidificador com os flocos de milho, o fermento e o coco. Misture tudo.
Leve a mistura ao forno médio (180ºC), em forma untada e enfarinhada (pode usar os flocos de milho para enfarinhar a forma), por uns 40 minutos ou até dourar e passar no teste do palito.
Nota: O floco de milho pré-cozido é como um fubá menos fino. É usado nas preparações culinárias como polenta, cuscuz, etc. A lata de milho em conserva tem 300g com a água e 200g sem a água.


Ecos da Páscoa

os jovens da casa receberam os ovos de Páscoa caseiros, como mostrei no post anterior. Mas receberam também estas caixinhas com bombons 'de compra'.


comprei estes chocolates em forma de tartaruga porque eram apreciados por uma das minhas filhas, na infância 

               
e eis uma das mesas montadas


E é só para o momento, Até breve e fiquem bem!



domingo, 28 de março de 2021

Ovo de Páscoa "de colher" + mesas de Páscoa

 



Olá, amigos, como têm passado?

Espero mesmo que todos estejam bem e continuem assim (cuidem-se, por favor!).

Dentro de poucos dias celebraremos a Páscoa e por isso decidi fazer os tais 'ovos de colher', para o pessoal de casa. Eles  vêm fazendo sucesso há uns bons três anos, mas eu os vinha ignorando, rsrs.  Trata-se de uma banda de ovo de Páscoa com recheio cremoso, que possa ser comido com colher.
Eu fiz as minhas cascas e também bombons, porque quero distribuí-los em caixinhas como estas abaixo. 
Já mencionei várias vezes que para trabalhar com chocolate enformado, a gente tem que antes, temperá-lo. A temperagem é que garante que o chocolate fique firme (crocante), com brilho e estável.
Sem ela o chocolate, depois que for desenformado e posto em temperatura ambiente, começará a derreter. Também ficará fosco e talvez até com manchas. 
Caso você não queira se dar ao trabalho de fazer as cascas dos ovos, saiba que atualmente é possível comprá-las em lojas de materiais de festa e confeitaria. E elas são bem mais baratas do que as dos ovos embalados, que compramos no comércio. 
Mas se você quiser encarar o desafio, por dispor de um pouco de tempo extra, devido ao isolamento, aqui no blog tem vários posts sobre a temperagem de chocolate.
Fiz as minhas cascas com uma mistura de chocolate meio amargo + chocolate ao leite (3 partes de meio amargo para 1 parte do ao leite).
Já o recheio, fiz, neste teste, o mais simples que existe, que é o creme de limão feito com leite condensado (basta misturar - numa tigelinha - 1 lata de leite condensado + o suco de 1 limão Tahiti médio; a mistura irá engrossar e será possível usá-la como recheio). Este recheio e o de maracujá são os favoritos das pessoas que irão receber os ovos, por isso escolhi o primeiro. 
Mas é claro que você pode usar o recheio cremoso que preferir.

  estas cascas parecem grandes, mas são de ovos de 250 gramas (quis           estrear a minha forma texturizada, rsrs)

coloquei alguns bombons em caixinhas




Também andei experimentando montar algumas mesas de Páscoa (comecei pelas mais simples)




E é só por hoje, mas quero voltar no máximo no meio da semana, com outro post sobre a Páscoa. Até lá!





domingo, 14 de março de 2021

Bolo veludo vermelho com cobertura de buttercream, para um aniversário!




um close na fatia

untando as formas

batedor em forma de pá 

Olá, queridos leitores, espero que todos estejam muito bem, a despeito de tudo!
Como mencionei no último post, minha filha Bellita fez aniversário recentemente e eu resolvi fazer para ela este bolo veludo vermelho. Tomei esta decisão também porque descobri - muito surpresa! - que ainda não tinha publicado nenhuma receita desse bolo. Escolhi a receita do blog do link abaixo por causa dos muitos comentários aprovadores, que encontrei lá na página. Mas eu não cobri o meu bolo com o creme de queijo e sim com o buttercream (receita mais abaixo), que, aliás, era a outra indicação de cobertura dada pela página.

Bolo de veludo vermelho com cobertura de cream cheese

(daqui)

Massa:

2 e 2/3 xícaras (295 gramas) de farinha de trigo
1/4 xícara (22 gramas) de cacau em pó natural, sem açúcar
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
1/2 colher de chá de sal
½ xícara (115 gramas) de manteiga sem sal à temperatura ambiente
1 e 3/4 xícaras (350 gramas) de açúcar refinado
2 ovos grandes à temperatura ambiente
1/2 xícara (120 ml) de óleo de canola ou outro óleo vegetal (para culinária)
1 frasco (25 gramas) de corante alimentar vermelho líquido
2 colheres de chá de extrato de baunilha puro

1 colher de chá de vinagre branco destilado (usei vinagre de álcool)
1 e 1/3 xícaras (320 ml) de leitelho (buttermilk - veja como fazê-lo abaixo), à temperatura ambiente

Para a cobertura de cream cheese:

340 gramas de cream cheese amolecido
3/4 xícara (175 gramas) de manteiga sem sal amolecida, à temperatura ambiente
3 xícaras (360 gramas) de açúcar de confeiteiro
1 e 1/2 colheres de chá de extrato de baunilha puro

Preparo

Para fazer o bolo de veludo vermelho:

Pré-aqueça o forno a 177 ° C. Pulverize bem duas formas de bolo de 23 cm, com spray de cozinha antiaderente, forre o fundo das formas com papel manteiga e reserve (ou unte as formas com manteiga, forre os fundos com papel manteiga e unte também o papel), Ponha as formas de lado.
Em uma tigela grande, misture a farinha, o cacau em pó, o bicarbonato de sódio e o sal. Em seguida, peneire os ingredientes secos para remover quaisquer pedaços de cacau em pó. Deixe de lado.
Na tigela grande da batedeira com o batedor em formato de pá, bata a manteiga e o açúcar em velocidade média por 4-5 minutos. Adicione os ovos e misture até ficar bem combinado, então misture o óleo, o corante vermelho, o extrato de baunilha e o vinagre, parando para raspar as laterais da tigela, conforme necessário.
Misture os ingredientes secos em três adições, alternando com o leitelho (buttermilk, veja como fazê-lo abaixo), começando e terminando com os ingredientes secos. Certifique-se de misturar a cada adição, até combinar tudo, e tome cuidado para não misturar demais a massa.
Distribua uniformemente a massa do bolo entre as duas fôrmas (usei 3 forminhas de 14 centímetros de diâmetro) preparadas antes, e espalhe a massa em uma camada uniforme. Bata as formas sobre a superfície de trabalho, de 2 a 3 vezes para remover as bolhas de ar da massa. 
Asse a 177 ° C (assei a 160ºC e demorou uns 40 minutos para ficar pronto) por 28-32 minutos ou até que um palito inserido no centro dos bolos saia limpo. Retire com cuidado do forno e coloque sobre uma gradinha para esfriar nas formas por 15-20 minutos. Em seguida, retire com cuidado os bolos das fôrmas e coloque na gradinha para esfriar completamente.

Para fazer a cobertura de cream cheese:

Na tigela grande da batedeira, com o batedor em forma de pá, bata o cream cheese até ficar homogêneo. Adicione a manteiga e misture por cerca de 30 segundos a 1 minuto até ficar bem combinado e homogêneo.
Misture o açúcar refinado e o extrato de baunilha e continue misturando até incorporar totalmente, raspando as laterais da tigela conforme necessário.


Para montar o bolo:

Nivele os topos de cada bolo com uma faca ou nivelador de bolo (eu cortei as ‘barrigas’ que se formaram enquanto os bolos assavam). Coloque uma das camadas do bolo em um suporte ou prato de bolo, cubra com uma camada de glacê e alise, para formar uma camada uniforme. Coloque a segunda camada por cima e, em seguida, use a cobertura restante para cobrir a parte superior e as laterais do bolo.

buttermilk:
Numa tigela pequena, mistura uma xícara de leite (240 ml) + 1 colher de sopa de sumo de limão, espremido no momento. Cubra a tigela e deixe que a mistura descanse por 10 minutos (o leite irá engrossar). Use.

A cobertura que eu usei:

Buttercream – cobertura

(daqui)

Ingredientes

230 gramas de manteiga sem sal amolecida

3 xícaras (360 gramas) de açúcar de confeiteiro

2 a 3 colheres de sopa (de 30 a 45 gramas) de creme de leite ou creme chantilly

1 colher de chá de extrato de baunilha puro

Pitada de sal


Preparo

Na tigela grande da batedeira, equipada com o batedor em formato de pá, ou em uma tigela grande usando uma batedeira manual, bata a manteiga até ficar homogêneo.

Adicione o açúcar de confeiteiro e bata primeiro em velocidade baixa, depois aumente para a velocidade média e continue mexendo por 1 a 2 minutos ou até incorporar completamente.

Adicione o creme de leite (comece com 2 colheres de sopa e adicione um pouco mais se necessário), o extrato de baunilha e o sal e continue misturando, em velocidade média, até que tudo esteja bem combinado, parando para raspar as laterais da tigela conforme necessário.

Use o glacê para canalizar para cupcakes ou para um bolo ou cubra bem e leve à geladeira até que esteja pronto para usá-lo.


Páscoa

E para aqueles que chegaram aqui em busca de inspirações para a Páscoa: saiba que aqui no blog há muitos posts sobre o tema (comidas, mesas, decorações, etc. Para encontrá-los é só digitar a palavra 'páscoa' na caixa de pesquisa no alto, à direita.):





E é só, para o momento... até breve!



Pin It button on image hover