segunda-feira, 5 de setembro de 2022

Focaccia grande e...

 



(foram assadas em fornos diferentes, por isso douraram diferentemente)

Olá, querido leitor, feliz mês de setembro!

Quem aí gosta de focaccia, a iguaria italiana que é um cruzamento entre pão e pizza, sobre a qual geralmente se põe ervas (especialmente alecrim, mas também manjericão ou outra), tomate, cebola, azeitona ou o que se desejar e que, no final, fica recendendo a tudo isso e também a azeite de oliva? Eu já publiquei uma ótima receita de focaccia
aqui no blog. Ela leva 500 gramas de farinha e produz uma focaccia que cabe numa assadeira de 25 X 35 cm. Mas em vários dos meus livros de culinária italiana as receitas são maiores, levando, geralmente, 1 kg de farinha. A receita abaixo é uma delas. Pode resultar em duas focaccias de 25 X35 cm ou em uma grande, que serve 10-12 pessoas. Outra diferença é que esta é feita com fermento fresco.

Focaccia grande de tomatinhos, azeitonas e alecrim
(serve 10-12 pessoas)

Ingredientes

1 kg de farinha de trigo (mais um pouco para polvilhar sobre a superfície de trabalho)
1 colher de sopa (nivelada) de sal
3 colheres de sopa (niveladas) de açúcar
600 ml de água morna (quase fria)
30 gramas de fermento fresco
50 ml de azeite (e mais um pouco para verter sobre a massa crua, antes de assá-la, e mais um extra para servir)
1/2 xícara de azeitonas fatiadas, sem caroço
12 tomates cereja partidos ao meio
3 ramos de alecrim partidos em segmentos de uns dois centímetros
sal grosso para salpicar sobre a focaccia (mais ou menos 1/4 de colher de chá, ou a gosto)

Preparo

Numa tigela grande, misture a farinha com o açúcar. Ponha esta tigela de lado. Então misture a água morna com o fermento, até que o fermento esteja totalmente dissolvido.
Faça um buraco no centro da farinha que foi posta na tigela, e derrame a água com o fermento no buraco. Acrescente os 50 ml de azeite e ponha o sal num cantinho da borda da farinha, longe da água (este cuidado é para evitar que o sal mate o fermento). Com uma colher de pau, vá misturando a água à farinha, puxando a farinha para a água até que toda a farinha esteja úmida. Polvilhe um pouco de farinha na superfície de trabalho e despeje a massa da tigela sobre a farinha polvilhada. Sove a massa, acrescentando mais farinha, se necessário (sempre o mínimo possivel), até que a massa se torne lisa e elástica (leva uns 10 minutos).
Ponha a massa de novo na tigela, cubra a tigela com filme plástico e deixe que a massa cresça por 30 minutos.
Abra a massa, transfira-a para uma assadeira untada com azeite (35 X 45 cm, ou para duas de 25 X 30 cm, todas untadas com azeite) faça furos nela com o dedo indicador (ou com o cabo redondo de uma colher de pau), introduza as metade dos tomatinhos, as fatias de azeitonas e os raminhos de alecrim no furos. Espalhe 2 colheres de chá rasas de azeite sobre a massa . E salpique o sal grosso sobre tudo. Cubra a assadeira com filme plástico e deixe que a massa cresça novamente por 40 minutos (quando completar 30 minutos do crescimento da massa, ligue o forno para preaquecê-lo). Ao fim dos 40 minutos, retire o filme plástico da assadeira e leve-a ao forno (já preaquecido) por 30-35 minutos, até que a focaccia esteja dourada e assada. Sirva com azeite de oliva a gosto.

Uma pequena reflexão


Há pelo menos cinco anos o mundo está a atravessar uma grave crise, que tem nos afetado de várias formas. É uma combinação de aflição econômica com tribulação sanitária (ocasionada pela pandemia e seus infelizes desdobramentos), somada às dificuldades nos relacionamentos humanos, resultantes - entre outras causas - da maciça circulação de desinformaçóes que, claramente, objetiva semear discordâncias e desentendimentos entre as pessoas.
Esta questão da disseminação de desinformações pode parecer novidade para muitos, mas trata-se da velha estratégia do "Dividir para Conquistar", tática antiga - desde sempre usada - quando se quer romper as estruturas do poder existente e impedir que pequenos grupos de descontentes se juntem. 
O resultado de tudo isso tem sido um aumento acentuado e ainda progressivo dos males associados às doenças emocionais e mentais. Estresse, ansiedade e depressão também estão se tornando epidêmicos. E isso tanto é verdade que elegeram o mês em curso como o da campanha mundial de prevenção ao suicídio.  
Há muita gente enfrentando um ou mais dos males acima mencionados. E, por isso mesmo, eu desejo realmente que essas pessoas encontrem auxílio em  amigos, em profissionais especializados etc. que venha as ajudar a superá-los. 
De minha humilde parte eu só quero dizer o seguinte: tudo nesse mundo passa, as coisas muito boas e também as muitos más. Aliás, os acontecimentos bons e ruins costumam se alternar no decurso da vida. Então, a consciência da transitoriedade de tudo, tem que vir em nosso amparo, nos momentos de crise. E é importante que nesses momentos a gente se esforce para não perder a fé de que as coisas podem (e vão) mudar. 

                     Imagens (aleatórias) de minha cidade e de minha casa:

                                                   Ponte JK
                                                        eixo sul
                                   árvore em um dos 'bairros'
                                                          em minha casa
                                                em minha casa

E é só para o momento, um abraço para todos!

24 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Gostei da receita e das imagens. Obrigada pela partilha!!
-
As primeiras chuvas...

Uma excelente semana.
Beijos!

Roselia Bezerra disse...

Querida amiga Marly, boa noite de paz!
Um post riquíssimo além de gostoso.
Gostei da receita simples, sem muito recheio que acaba por ficar enjoada a focaccia. Vou fazer.
O assunto da ansiedade está de fato transtornando a muitos.
Quando se pensa e se age como se a Pandemia tivesse acabado, tive três Irmãs do Mosteiro com Covid há apenas 15 dias... Ela está por perto de nós...
Não é para menos o mal do século da depressão que havia sido anunciado antes mesmo da Pandemia.
Agora, tudo se acentuou de forma veloz.
Sua casa é uma gracinha, tem seu jeito amoroso de ser.
Você é de Brasília? Não me lembrava...
Tenha uma nova semana abençoada!
Beijinhos
💐

Marijose disse...

Me ha encantado tu receta y tambien las imagenes de tu ciudad y tu casa, besos

Pedrita disse...

que linda. suas fotos são sempre muito caprichadas. obrigada amiga. esses anos difíceis me desanimaram bastante. beijos, pedrita

Monique Larentis disse...

Eu comi pela primeira vez essa iguaria na minha aula de Italiano, e amei. É muito boa. Não parece ser tão difícil de fazer. Acho que vou tentar.

www.vivendosentimentos.com.br

Luiz Gomes disse...

Boa tarde minha querida amiga Marly. Acho que nunca comi essa delícia. Sobre o Museu Nacional, concordo plenamente com você. Como sempre morei na Tijuca, desde criança sempre fui à Quinta da Boa Vista e via o museu. Lembro no dia que eu cheguei da Igreja e vi as imagens na TV, chorei muito. Imaginei a tragédia que se abateu sobre a nossa história e do mundo. Sempre que visito um museu, faço a pergunta sobre as instalações e sistemas de segurança.

Luiz Gomes disse...

Amanhã farei uma matéria sobre a Antiga Sé. Onde Dom João VI foi coroado rei de Portugal no Rio de Janeiro. Fato único da nossa história e de Portugal.

Jovem Jornalista disse...

Essa refeição parece ser deliciosa!

Boa semana!

O JOVEM JORNALISTA está no ar com muitos posts e novidades! Não deixe de conferir!

Jovem Jornalista
Instagram

Até mais, Emerson Garcia

Anônimo disse...

Marly, pelo celular, só consegui comentar como anônima. Sou eu, Heloísa.
Sua focaccia está maravilhosa.
E você tem toda a razão quanto à transitoriedade dos fatos. Tudo passa. Temos que ter consciência de que não há mal que sempre dure, para termos forças em muitas ocasiões.

Rose Gleize disse...

Oi, Marly!
Muito boa e muito legal a sua mensagem de fé e de esperança no final da postagem em questão.
Gostei de conhecer essa receita da qual eu nunca provei e mais ainda de saber que ela é fruto de um cruzamento entre pão e pizza!
Legal saber que você é do DF. Eu não imaginava. Também faço parte desse quadradinho.
Adorei as fotografias!
Obrigada pela visita que você fez ao meu blog. Volte sempre.
Um abraço. 💌💕

https://mesaesobremesas.blogspot.com/

Adriana disse...

Nossa, faz tantos anos que não faço focaccia, que lindo post, parabéns!! bjs

Luiz Gomes disse...

Boa tarde minha querida amiga Marly, desejo um ótimo sábado com muita paz e saúde.

Luiz Gomes disse...

Boa tarde. Desejo uma ótima tarde de Terça-feira. Minha querida amiga Marly. Infelizmente o nosso Brasil tem muitos museus e que são poucos divulgados. Obrigado pela visita e comentários.

CÉU disse...

Oi, Marly!

Bom mês de setembro também pra você.
Nunca comi focaccia, mas conheço bem de nome. Tenho um casal amigo italiano.
Quanto à sua nota, para além de mto bem escrita, acho que vc tem toda a razão.
O mal não dura para sempre, nem o bem.
Tem uma casa linda e decorada com bom gosto.

Beijos e saúde.

Luiz Gomes disse...

Boa tarde minha querida amiga Marly. Uma excelente quinta-feira minha querida amiga.

Denise Aparecida da Silva Garcia Pereira disse...

Oi, Marly!
Receita maravilhosa, reflexão muito linda e imagens belíssimas. Extremo bom gosto no seu cantinho! Deus abençoe!
Grande abraço e ótimo final de semana!

Pedrita disse...

voltei a sua postagem do torto arado e comentei de novo agora q li o livro.

Luiz Gomes disse...

Boa tarde minha querida amiga Marly. Nosso artesanato é maravilhoso e muito especial. Bom início de semana.

Sérgio Santos disse...

Eu amo demais, Foccacia, Marly. Essa foto me deixou com fome às duas da manhã...kkkk bjssss

Luiz Gomes disse...

Boa tarde minha querida amiga Marly. Espero que você esteja bem. Muita saúde para você e sua família.

Sérgio Santos disse...

Adorei as imagens aleatórias! Lindas!!! Bom fim de semana!!!

Vanessa disse...

Olá.
Amei essa receita, ficou impecável. Eu já tinha a receita aqui mas ainda não fiz.
Eu amei a reflexão que veio junto com o post, muitas pessoas sofrendo de depressão, ansiedades, e muitas outras doenças e precisamos lembrar de viver um dia de cada vez porque tudo passa e o que resta é a saudade.
Beijos.



http://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

Luiz Gomes disse...

Boa tarde minha querida amiga Marly. Desejo muita paz e saúde para você e sua família. Obrigado pela visita e carinho.

Rehoboth disse...

Nice Post
Thanks

Pin It button on image hover